Vergonha | Guarda Civil está em situação precária

17/04/19 - É Ordem do comando de não fazer as horas extras. É o sistema de CFTV monitorado da GCM que está inativo. É a falta de comunicação, porque estão sem os rádios comunicadores. São os produtos de higiene pessoal que a prefeitura não manda para a base, e agora a falta de verbas para os guardas poderem fazer a ronda. Fonte: Alex Xandy - Facebook.


Sem rádios, GCM de Diadema se comunica por meio de WhatsApp. Prefeitura está há mais de um ano sem pagar empresa que faz manutenção do sistema

Os GCMs (Guardas Civis Municipais) de Diadema estão, há pelo menos duas semanas, utilizando o aplicativo WhatsApp para se comunicar. Isso porque os rádios da corporação não estão funcionando, desde que os repetidores – equipamentos que mantém a rede de comunicação no ar – foram retirados pela empresa que presta o serviço de manutenção, a Ramc Telecomunicações. No site da Transparência da Prefeitura, é possível verificar que, durante todo o ano passado, não foi feito nenhum pagamento referente ao contrato, no valor total de R$ 181.296,66. O débito total é de R$ 226,6 mil.



Integrantes da guarda ouvidos pelo Diário sob anonimato reclamaram das condições precárias de trabalho, que vêm se agravando nos últimos anos. O problema mais recente é o dos rádios, que obriga os profissionais a se conversarem por meio do aparelho celular, em grupos do WhatsApp. “O rádio é rápido. A gente aperta um botão e comunica a ocorrência. Com o celular, pode faltar sinal, o guarda pode demorar para ver, a gente está exposto a muitos riscos”, relatou um guarda. Os oficiais afirmaram que já ocorreram situações em que não foi... Para saber mais clique AQUI. Fonte: Diário do Grande ABC.

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, seja bem-vindo! Faça o seu comentário com responsabilidade. Muito obrigado!

Por Dennis Guerra