Nota da empresa Sou Concurseiro e Vou Passar | Pimenta no rabo dos outros é puro refresco

23/04/19 - Por Dennis Guerra: "É natural que, quem tenha tido contato com o professor em questão, saia em sua defesa. É super compreensível. E também é salutar para ele e a empresa na qual ele trabalha emitir pedir desculpas. Arranhou a credibilidade e acho justo a nota da empresa - que deve ter dito ao professor "Se você fizer outra merda dessa, tá fora" e, lógico, por uma questão ética, não traria isso a público.


Agora, me desculpem: se fosse um desconhecido ofendendo você e a sua profissão, teria um monte aí reclamando ou fazendo coisa parecida. Se alguém se referisse, da mesma forma, à categoria médica e outras, teria uma avalanche de comentários repudiando a atitude. E esta estória de 'era só uma brincadeira' só cola para quem aceita que se faça o mesmo consigo.

Eu, particularmente, não. Mas é totalmente compreensível, do fundo do coração, é até mesmo aceitável. Quando é com os outros, dane-se. Pimenta no rabo dos outros é puro refresco".

Comentário deste editor, em nota da empresa no Facebook, após muitos comentários criticando a polêmica gerada e indignação por parte dos guardas municipais.


Sou Concurseiro e Vou Passar - Facebook, escola preparatória para concursos públicos da cidade de Manaus/Amazonas, vem a público esclarecer a repercussão referente ao vídeo que foi postado em nosso canal do YouTube e que está circulando na internet, no qual, durante uma aula sobre Direito Constitucional, realizada em 2 de abril de 2017, o professor Fábio Silva cita os Guardas Municipais e faz um comentário infeliz ao querer destacar o conteúdo, de forma a reforçar uma possível “pegadinha” que poderia ocorrer em questão de prova de DIREITO CONSTITUCIONAL, citando a parte da CF que diz:

Art. 144. A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:
I - polícia federal;
II - polícia rodoviária federal;
III - polícia ferroviária federal;
IV - polícias civis;
V - polícias militares e corpos de bombeiros militares.

Com isso, CONFORME PREVÊ A CONSTITUIÇÃO FEDERAL E NÃO CONSIDERANDO LEIS FEDERAIS QUE NÃO ESTEJAM NO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO EDITAL, o professor citado comete um infeliz erro ao reforçar que nos incisos não consta a Guarda Municipal.

Em nome da Empresa, explico situações que não constam no vídeo:

1. A aula era para alunos que estudavam para um concurso da Polícia Civil, e, pelo fato de nessa aula estar presente um aluno que à época era guarda Municipal e, pouco antes da aula iniciar estava falando sobre o cargo da Guarda Municipal com o professor no corredor, como uma forma infeliz, “mexeu” com o aluno que, por sua vez, o havia indagado antes da aula justamente sobre o fato de essa categoria não constar na Constituição Federal.

2. Essa aula era um “minicurso” de extensão onde treinávamos nossos alunos diuturnamente, e, a empresa Sou Concurseiro e Vou Passar, com o auxílio de professores que abraçaram o projeto, inclusive alguns deles abriram mão do valor de sua hora aula para que fosse possível chegarmos a um valor mais acessível para esse treinamento; ministrávamos aulas de domingo a domingo, sendo de segunda a sexta de 22h as 00h, com o intuito de potencializar o conhecimento por meio de simulados extras, testes físicos, preparo psicológico etc. para o certame que estava por vir. Reforço também que, por muitas vezes, até para que fosse mais “ameno” suportar tantas horas de aula, brincadeiras das mais diversas formas ocorriam em sala, a situação infeliz acabou ocorrendo com o intuito de “brincar” com uma situação onde não cabia o comentário.

Após o relato de informações que não constam no vídeo executado por trecho nas redes sociais, a empresa Sou Concurseiro e Vou Passar, assim como os demais membros de nossa equipe, tanto docente como discente, repudia atos de discriminação preconceito ou pré-julgamento, afinal, o alicerce de nosso trabalho é justamente o de mudar vidas, o de beneficiar às vidas de pessoas e famílias através do estudo e, além disso, contribui de forma indireta para a melhoria da qualidade do serviço público, por meio de pessoas que são inseridas nos órgãos capacitadas e adequadas ao cargo por meio do concurso público.

Com base na declaração desnecessária exposta pelo professor, recebemos inúmeras mensagens de profissionais da Guarda Municipal repudiando o comentário do professor, e reforçamos que, assim como a classe, também repudiamos tal postura e, por isso, o vídeo foi excluído de nossa lista de vídeos. O ato infeliz e equivocado passou a ser uma situação de reflexão, por essa razão, reunimos com todos os nossos professores para chegar a um consenso sobre que comentários tecer em sala pois, mesmo que a frase/situação não tenha agregada em si o intuito de magoar ou denegrir a imagem do próximo, pode ferir sem perceber e por isso deve ser evitada.

O professor Fábio em seu depoimento de desculpas reforça que A Guarda Municipal exerce uma função importantíssima para a sociedade brasileira, embora não esteja dentro do Art. 144 no Caput como órgão de segurança pública, exercem o papel de segurança de pública, assim como reforça a lei federal 13.022 de 2014.

Reforçamos que o Professor Fábio Silva é um excelente profissional e com vasta experiência no segmento de concursos públicos, por isso, mesmo sem ter tido a intenção de denegrir a imagem da categoria, está extremamente arrependido pelo infeliz comentário e, assim como a empresa, também lamenta o ocorrido.

Segue declaração do professor Fábio Silva sobre a repercussão do vídeo, o mesmo reforça que a guarda municipal é o futuro do país.

“Entendo que a Guarda Municipal é o futuro do país. Acredito que o futuro seja a municipalização da segurança pública. Quem cuida da polícia é o município. Ressalto que aula é antiga e lamento que tenha ofendido à categoria. Peço desculpas a todos os guardas municipais do Brasil. Por mais que eu tenha dito como uma forma de brincar durante as aulas, não na intenção de ofender, por isso, peço desculpas a todos. Reconheço o meu erro e estou pedindo perdão de todos os guardas municipais do Brasil”.

Nós, Sou Concurseiro e Vou Passar, somos uma escola que preza pelo bem e atua em busca da melhor qualidade de ensino e preparação para concursos públicos.

Não trabalhamos apenas com aulas mas também impulsionamos nosso trabalho com aquilo que de fato move aquele que escolhe o concurso público como opção de trabalho e com o intuito de mudar de vida, por isso não abrimos mão da possibilidade de poder ajudar milhares de brasileiros em busca da aprovação em um concurso público.

Respeitamos e lamentamos profundamente o ocorrido. Pedimos desculpas a todos os guardas municipais que contribuem efetivamente para a segurança pública do nosso país.
Nos colocamos a disposição para quaisquer eventuais esclarecimentos.

Atenciosamente
Anne Louíse Domingas de Souza Silva - Sócia Administradora. Fonte: Sou Concurseiro e Vou Passar - Facebook


Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, seja bem-vindo! Faça o seu comentário com responsabilidade. Muito obrigado!

Por Dennis Guerra