03 abril 2018

Artigo | Pelo fim das polícias e das guardas municipais?

03/04/18 - Por Júnior: A frase que deu origem ao presente artigo chega a causar indignação quando colocamos de lado os interesses corporativos e pensamos no bem comum. Como pode uma pessoa em sã consciência pregar o fim da polícia e dizer que é possível existir uma sociedade sem lei ou ordem? Como pode existir o fomento do ódio, da desvalorização e do não reconhecimento de tão nobre e essencial serviço social?


Entre medidas pirotécnicas,intervenções, propostas de desmilitarização, unificação, integração, criação de forças nacionais, etc., o que vemos é que a segurança pública (um dos tripé da sociedade) é propositalmente relegada ao esquecimento e entregues à própria sorte. 

A polícia, só é lembrada pelos governantes, quando delas necessitam para ser usada como polícia de controle social para calar aqueles que também questionam outras mazelas da omissão política. A polícia, só serve para ser usada em tempos de campanha eleitoral, como parte mais visível da administração direta. 



Das mesmas mazelas que sofrem as co-irmãs estaduais, sofremos nós das Guardas Municipais, largadas ao abandono pelos prefeitos que ainda insistem em ignorar a evolução legal trazida pela Lei 13.022/14 e ainda tratam as corporações municipais como uma extensão de seus empregados domésticos. As GMs como um todo, precisam lutar por mais autonomia, independência orçamentária, estatutos mais justos, planos de carreira e não mais se permitirem ser uma estrutura a serviço de governantes. A polícia pertence ao povo e a ele é que serve e protege com o sacrifício da própria vida.

A Guarda Municipal (como polícia municipal de fato e de direito) precisa sair da zona cinzenta em que se encontra e potencializar seus processo de avanço institucional e político. Chega de viver de esmolas e das migalhas que caem da mesa dos soberanos que a cada 4 ou 8 anos usam as estruturas do Estado para roubar, destruir e sucatear os órgãos policiais.

Quando alguém prega o fim da Guarda Municipal e das demais polícias, revela quem é e a que veio e prega um Estado vulnerável, sem lei e ordem que não possa resistir ao saqueamento e a delapidação moral e financeira. Para ler o texto na íntegra, clique AQUI. Fonte: Ciências Policiais em Foco


Saiba mais sobre o Autor - GCM Júnior: Policial Municipal na Cidade Limeira - SP / Coordenador do Movimento de Valorização dos Profissionais de Segurança Pública / do Estado de São Paulo - MVPSPESP.


0 COMENTÁRIOS DOS VISITANTES::

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.