26 fevereiro 2018

Intervenção Federal | Frase de Apeles de Cós aos especialistas militantes - “Não vá o sapateiro além de suas sandálias”

26/02/18 - Carlos Augusto Fernandes dos Santos - Militar reformadoNa remota antiguidade e no distante medievo, inúmeros castelos suntuosos foram construídos ao redor do mundo. Muito bem guarnecidos e localizados em regiões quase inacessíveis proporcionavam proteção a Reis e Senhores Feudais.

Os caminhos para chegar ao topo das elevações, vielas estreitas e quebradiças, facilitavam a defesa dos monarcas. Era uma forma de garantir a soberania e de facilitar o combate aos prováveis inimigos.



Essa estratégia, portanto, não é nova e demonstrou ao longo do tempo sua eficácia. Hoje, os reis do tráfico criminoso e os senhores das drogas e das milícias irregulares, dominam regiões de difícil acesso da cidade do Rio de Janeiro, impedindo a presença efetiva do Estado; situação agravada pela sucessiva, longa e lastimável colaboração de governantes populistas, totalmente avessos aos assuntos de segurança e de defesa, mais preocupados com os “direitos humanos”, e que relegaram, por décadas, o apoio às Polícias (civil e militar), alimentando o monstro e seus tentáculos que, hoje, parecem invencíveis.

Encastelados no topo das favelas ou dominando “comunidades”, onde residem milhares de trabalhadores honrados, controlam com seus “coletivos” - verdadeiros exércitos paralelos - áreas sensíveis contíguas às vias expressas, dispondo para tal de armamentos e equipamentos mais sofisticados do que os das Forças Legais.

Mesmo antes e principalmente após o Decreto de Intervenção Federal no Rio de Janeiro, “especialistas de araque”, passaram a dar “opiniões” sobre Segurança Pública e a criticar a atuação das FFAA. Ocupando espaços generosos nos veículos de comunicação, centenas deles opinam sobre a maneira como as Forças Armadas podem e devem agir. O problema se agrava, ainda mais, pela angelical postura de inúmeros juristas, insensíveis aos apelos da população refém da bandidagem, e que se negam ou são contrários em fornecer mandados de busca coletivos que permitirão a ocupação efetiva e o necessário vasculhamento das mencionadas regiões. O Sr. Ministro da Justiça acaba de posicionar-se contrário a eles, mostrando desconhecer a dificuldade de operar em situações muito próximas aos duros Combates em Localidade. Dessa forma, mais uma vez, o remédio será inadequado.

No programa Painel, exibido no dia 17 de fevereiro passado pelo Canal Globo News, o General Heleno, especialista no complexo tema, referiu-se a fundamentais Regras de Engajamento que não deixem dúvidas sobre o sensível emprego de FFAA em operações dessa natureza. Destacou, entre outros aspectos, a imprescindível necessidade do suporte jurídico para as tropas empregadas.


Está na hora, pois, que todos os brasileiros, principalmente as autoridades responsáveis em decidir questões tão sensíveis, apoiem essas operações, dando ao General Braga Neto, Interventor nomeado pelo Presidente da República, as condições ideais para cumprir a difícil missão. O contrário, será repetir o mais do mesmo.

Encerro , sugerindo aos inúmeros “ especialistas”, principalmente aos que militam e dão “pitacos” inoportunos em diferentes órgãos de nossa atenta imprensa , o conselho de Apeles de Cós, renomado pintor da Grécia Antiga, a um intruso artesão que criticava suas obras: “Não vá o sapateiro além de suas sandálias”.

Carlos Augusto Fernandes dos Santos - Militar reformado - Porto Alegre - 20/02/2018. Fonte: MREB - Militares Reformados do Exército Brasileiro - Facebook.


0 COMENTÁRIOS DOS VISITANTES::

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.