11 fevereiro 2018

Guardiões Provinciais de Guanagazapa | A Festa da Karnaváliac

11/02/18 - Por Dennis Guerra: Apresentação - De certa forma, acredito que algo que eu nunca imaginei foi me tornar um escritor - mas eu não diria que não possa ter pretensão para tal. Quem sabe um E-book? Veja também: Após abordagem da Guarda Civil, homem é preso por Receptação

Então, enveredar pelo tema seria interessante. Claro, nada muito elaborado, talvez com uma linguagem mais coloquial. Por isso resolvi criar o conto Guardiões Provinciais de Guanagazapa. Fonte/Imagens: Google.

Nele, você poderá encontrar as minhas tentativas de criar uma ficção, não sendo atraente ao seu gosto literário, no mínimo provocativa à sua curiosidade.

Guardiões Provinciais de Guanagazapa é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com a realidade ou pessoas é mera coincidência.

Introdução - Guanagazapa é um reino não muito distante, governado pelo Rei Préfis em nome do povo Phífios. Para auxiliar o reino, fora criada a legião Guardiões Provinciais de Guanagazapa. Chefiada pelos Absolanteis, os guardiões buscavam de todas as formas proteger os mais fracos, principalmente em referência aos Khaídos - seres inescrupulosos, capazes de ataques covardes ao seu próprio povo e, principalmente, aos guardiões.


Guardião Provincial de Guanagazapa.
Fonte/imagem: Google

Por outro lado, ainda existia uma relação forte entre os Khaídos e os Phífios por conta, justamente, de terem as mesmas origens. Dentre eles, destacam-se os Hipócreteis, pessoas que pertenciam ao restante da sociedade que por meio daquilo que alguns defendiam - e outros deturpavam - as chamadas Tábuas dos Direitos Rufanus, davam vazão aos comportamentos criminosos de seu povo.


Absolanteis (também conhecidos entre os guardiões como Cardeoulus)
em ritual de extirpação do almus opiniousonde uma das guardiãs
tem o seu espírito livre eliminado pela espada ErreDEX.

Os guardiões encontravam resistência até mesmo entre os seus líderes. O Rei Préfis queria resultados - mas não assumiria quebrar doutrinas estabelecidas com o povo - ao mesmo tempo que ignorava necessidades de seus guardiões. Os Absolanteis (também conhecidos entre os guardiões como Cardeoulus, por atitudes comparáveis aos de sacerdotes que tomam o lugar de seus próprios deuses) pertencentes à mais alta casta dos Guardiões, ignoravam as suas necessidades. E assim segue-se o conto:

A Festa da Karnaváliac

Após Préfis exigir a presença em massa de todos os Guardiões para a festividade pagã de Guanagazapa chamado pelo povo de Karnaváliac, os guerreiros foram convocados das mais longínquas partes do reino para as festividades.

Durante as festas, o povo se embriagava com as acólics - bebidas altamente fermentadas - e muitos eram os casos de confusão. As comemorações também permitiam aos Khaídos exercerem ainda com maior facilidade os seus ataques ao povo.


Khaídos - seres inescrupulosos, capazes de ataques covardes ao seu próprio povo e, principalmente, aos guardiões.

Os guardiões, sob as ordens dos Absolanteis e de seus inferiores Iágasses e Idésseis, estavam dispostos a cumprirem o seu papel. Enfrentaram inúmeras adversidades para estarem nas festividades. Mas o que se verificou é que os grandes tumultos ali não ocorreram. Khaídos e Phífios não tiveram, força suficiente para macular a alegria de seu povo.

Embora a Karnaváliac tenha permitido, ao menos durante um curto espaço de tempo, que o povo esquecesse as suas amarguras, como a fome, a falta de trabalho aos camponeses e os altos impostos cobrados pelo Senhor Dos Sete Mundos (Guanagazapa era apenas um destes reinos), os guardiões estavam demasiadamente cabisbaixos. 

Sem cavalos e carroças que pudessem diminuir o peso da batalha, eles voltavam para as suas aldeias, esgotados. A sensação era de que os Cardeoulus haviam imputado um peso desnecessário aos seus corpos. Muitos deles, que já não viam grandes perspectivas em sua vida como Guardiões Provinciais: sentiam-se ainda mais desrespeitados pela ambição de seus próprios.

Eles sentiram falta do ciclo solar anterior, quando boa parte das agruras atuais não se fez presente.


Guardiões Provinciais de Guanagazapa é uma obra de ficção.
Qualquer semelhança com a realidade ou pessoas é mera coincidência.


2 comentários:

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.