2010 / 2017

"Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada"
Edmund Burke

"O Cão De Guarda Notícias era uma janela para o mundo que esteve aberta entre os anos de 2010 a 2017, deixando agora um vazio enorme em meu coração" Por Dennis Guerra

06 março 2017

Prefeito de São Paulo teria cedido a 'pressão popular' ao afirmar que a Guarda Civil não mais autuará no trânsito da cidade?

Em entrevista a Jovem Pan, prefeito de São Paulo afirmou que os guardas civis não devem autuar no trânsito da capital.

06/03/17 - Por Dennis Guerra: Foi com grande espanto que os guardas civis metropolitanos assistiram a entrevista do Prefeito de São Paulo, João Doria, a Jovem Pan. Nela, o prefeito afirmou que a GCM não mais autuará no trânsito da cidade e que a sua função é tão somente proteger o cidadão.


O prefeito teria cedido a pressão popular? Uma coisa é certa: as reclamações por conta de uma suposta indústria da multa só advém daqueles que se fazem de vítimas de suas próprias atitudes. Qualquer alegação por tal indústria passa pelos insumos à que qualquer empresa seria dependente, ou seja, para que existam as multas, devem necessariamente existir aqueles que cometem as infrações.

Não se trata aqui de uma discussão vaga sobre aplicar ou não uma sanção administrativa - que é a multa - e sim quantas vidas são salvas pelo ato público de fiscalizar e corrigir posturas / atitudes. Logicamente, quando levamos em consideração algumas 'pegadinhas' que possam ser promovidas pelo próprio Poder Público - ainda que de forma não planejada - então poderemos considerar tal alegações de determinadas pessoas, lembrando que, para quem tem por objetivo burlar a Lei, essas alegações serão plenamente discutíveis.


Assista pelo seu smartphone


Se foi essa mesma a intenção do prefeito, poderemos até mesmo afirmar que é uma pena o seu posicionamento não ter sido tão firme quanto à questão das pichações pela cidade. Essa sim reflete o posicionamento firme de um  gestor, e não de um político. Veja ainda: Doria reduz prazo para pichador reparar estrago 

Mesmo assim, considerando que a afirmação do prefeito tenha se limitado a atuação da Guarda Civil nas Marginais Tietê e Pinheiros, encaminhamos uma pergunta ao Secretário Municipal de Segurança Urbana, Coronel José Roberto, e assim que a resposta for encaminhada, esta postagem será atualizada. E mais: Estudo de Caso - O Uniforme de Verão GCM/SP (A participação das CIPAs)

06/03/17 - Por Dennis Guerra: "Bom dia, Senhor Secretário! Hoje na entrevista do prefeito a Jovem Pan, ele afirmou enfaticamente que os guardas estão proibidos de autuar e que quem desrespeitar essa orientação deverá ser punido. Além disso, ele disse que guarda não deve portar talão e que a sua função é tão somente fazer a segurança do cidadão. Mas os guardas continuam recebendo os talões e autuando normalmente. É isso realmente que vai ocorrer ou ele estava se referindo tão somente no caso das marginais Tietê e Pinheiros"? Aguarde, em breve a resposta.


3 comentários:

  1. Só pelos comentários, se pode notar, que vossa excelência o Senhor Prefeito, trata-se de um fraco, mais um politico, porque a GCM esta amparada pela lei 13022/14(LEI FEDERAL), não esta interessado em proteger o cidadão, porque não investe na GCM, como deveria investir, no patrulhamento preventivo, como muitas cidades já o fazem, exemplo Cotia -SP, Campinas -SP Paulinia -SP Indaiatuba -SP, e assim por diante, agora não faz nem uma coisa nem outras deixa a população a merce, com certeza deve estar pensando em investir na luz de led, e se eximir da segurança publica como muitos outros Prefeitos covardes que tiveram a capital

    ResponderExcluir
  2. Situação a ser confirmada, mas parece que está voltando a tona um passado obscuro não muito distante. Lamentável mas a gloriosa instituição com atitudes como essa vai sendo desmoralizada. A autuação de trânsito entre outros também é um mecanismo de controle do mal cidadão e proteção do cidadão de bem, de pessoas. Vamos ser racionais um Estado forte precisa de controle da desordem e o trânsito faz parte do conceito. Trazendo o contexto para a instituição, instituição esta com valorosos profissionais onde se tem grande amplitude de atuação a retirada dessa ferramenta de trabalho em um universo o qual não se tem muitos meios para realização de um serviço de qualidade acaba colaborando com a desordem pública contrariando a política pública atual. Agora trazendo o fato para gestão pública de qualidade uma atitude como esta atende a qual interesse? Interesse de quem? É fato que outros órgãos públicos não tem é nunca tiveram condição de gerir o Estado sozinhos em uma espécie de monopólio. Se fosse assim não haveria divisão de entes públicos sendo tudo centralizado. Ideologia errada, ninguém entra na competência de outro e se por ventura ocorrer é de forma complementar objetivando qualidade de gestão. Lamentável.

    ResponderExcluir
  3. Complementando o comentário anterior, não existe indústria da multa isso é um jargão chulo. O que existe é o mal cidadão que não cumpre regras e em uma sociedade de fato séria e evoluída regras existem para serem cumpridas, isso é a essência, direitos e deveres para todos.

    ResponderExcluir

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.

Tecnologia do Blogger.