08 março 2017

A Mulher na Segurança Pública - Por Erika Genaro

Considerando o dia da mulher, publico um texto para que façamos uma reflexão de quem são as mulheres que trabalham na segurança pública e como ela é vista socialmente. 

08/03/17 - Por Erika Genaro: Este texto é parte do TCC que apresentei como uns dos itens para aprovação no curso de pós-graduação na UNIFESP no ano de 2016, o título foi: Gênero - As Mulheres na Segurança Pública uma análise da Construção Social e das relações de Poder. Qualquer reprodução deste texto, total ou parcial, deve constar a referência. Desejo que goste. Escrito por Erika do Nascimento Genaro.


GÊNERO - AS MULHERES NA SEGURANÇA / UMA ANÁLISE DA CONSTRUÇÃO SOCIAL E DAS RELAÇÕES DE PODER

1.2 A MULHER NA SEGURANÇA PÚBLICA 

A inserção das mulheres na segurança pública iniciou na década de 50, Brasil (2013), a ideia de inserir mulheres na atividade policial seguiu de uma tendência que acontecia em países da Europa e nos Estados Unidos da América, assim o governador de São Paulo na época, Jânio da Silva Quadros, solicitou ao diretor da escola de polícia Dr. Walter Faria Pereira de Queiroz estudar a criação de uma polícia feminina em São Paulo. Aos doze dias do mês de maio de mil novecentos e cinquenta e cinco foi publicado o decreto nº 24.548 dando início ao “Corpo de Policiamento Especial Feminino” da Guarda Civil de São Paulo, comandado pela Dr.ª Hilda Macedo.

Foto: Erika Genaro / Arquivo pessoal. 

Pioneira no Brasil foi atribuída missões, que no entendimento à época “melhor se ajustavam ao trabalho feminino”, atendendo as necessidades sociais na proteção de mulheres e jovens. Nos primeiros anos a atuação do grupamento destacou-se nos postos fixos em ações preventivas em estações de trens, aeroportos e com o apoio a outros órgãos em setores de atendimentos. Com a filosofia de não usa arma e nem patrulhamento ostensivo. Veja ainda: Dia Internacional da Mulher na Câmara Municipal de São Paulo

...as características próprias do trabalho policial levaram a que a incorporação da mulher se desse numa perspectiva funcional, para desempenhar atividades relacionadas com as problemáticas sociais, de ajuda a outras mulheres, crianças e idosos. Subjacente havia a convicção que a mulher policial ter uma relação estreita e especial com a comunidade, com papel protetor. Donadio (2009, apud Brasil; 2013 pg 17).

Em quinze de janeiro de mil novecentos e cinquenta e nove foi publicada a lei Nº5235 que cria o regulamento da Polícia Feminina, com descrição de atribuição dos cargos e estabelece os cargos de chefia. Para saber mais clique AQUI. Fonte: Blog Erika Genaro... E Ponto!


Um comentário:

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.