02 fevereiro 2017

Mãe bate no filho que andava roubando na cidade e Conselho Tutelar pede a prisão da senhora

Se contar ninguém acredita. Essa, nem mesmo a mãe do delinquente imaginou que poderia acontecer!

02/02/17 - O Conselho Tutelar da cidade de Campestre, no Maranhão, pediu a prisão da senhora Maria de Lourdes, de 66 anos. Segundo o diretor do conselho, Mario Junior de Melo, o motivo seria uma agressão cometida por dona Lourdes ao seu filho de 13 anos.


Mario afirmou que o menor, indefeso, foi agredido com golpes de cinta e foi obrigado a ficar de joelhos por 1 hora como forma de castigo. Ao delegado, Dona Lourdes confessou que havia batido no filho, mas explicou com clareza o motivo.

"Ontem cheguei em casa e vi ele com um celular novo. Desconfiei, porque ele não trabalha. Então perguntei onde ele tinha conseguido. Ele disse que achou. Horas depois, um rapaz do mesmo bairro veio atrás do celular, dizendo que ele tinha roubado de dentro de sua casa. Então eu tive que bater nele, pois não é a primeira vez que ele apronta" Afirmou Maria de Lourdes.

Dona Lourdes foi indiciada por agressão e continua detida enquanto aguarda a presença de um advogado público, pois a mesma não tem condições de pagar um particular. O menor também foi encaminhado para a delegacia, mas foi liberado logo em seguida por conta de sua pouca idade. Fonte: Diário Imparcial.


0 COMENTÁRIOS DOS VISITANTES::

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.