29 janeiro 2017

Justiça decidiu: mulher traída tem direito a indenização do ex marido e amante

O caso aconteceu no estado de Minas Gerais e abre caminho para decisões semelhantes na justiça.

29/01/17 - Uma mulher foi à Justiça pedir indenização após passar dez dias casada e descobrir a traição do marido. O caso aconteceu na pequena cidade de Galileia, no interior do estado de Minas Gerais.


Sandra* decidiu ir à #Justiça pedir reparação após o término de seu casamento com Ricardo*. Ela conta que a cerimônia aconteceu no dia 19 de dezembro de 2009 e, apenas alguns dias depois, descobriu que o então marido tinha uma amante. Dez dias após o descobrimento, o casal se divorciou e Ricardo resolveu morar com Adriana*, levando consigo alguns bens materiais da casa, como sofá, cama, televisão e o rack que ficava na sala.

Segundo Sandra, a situação acabou gerando um grande transtorno e desconforto, além da humilhação que ela acabou sofrendo. Foi então que a mulher decidiu levar à Justiça alguns documentos, comprovando todos os gastos que teve com a cerimônia e demais preparativos do casamento e pedir uma indenização pelo dinheiro gasto. Veja ainda: Homem que fugiu algemado em viatura da PM é preso 10 dias depois pela guarda municipal

Após análise do processo, o juiz Roberto Apolinário de Castro, da 2ª Vara Cível de Governador Valadares, decidiu, em primeira instância, que Sandra deve se indenizada não só pelo ex-marido, mas também pela amante. Os dois devem pagar à mulher um valor de R$ 11.098 por danos materiais e outros R$ 50 mil por danos morais.

A decisão foi contestada pelo casal. Adriana chegou a alegar que não pode ser responsabilizada pelo fim da relação e Ricardo afirmou que os custos do casamento foram bancados por ele, que chegou até a apresentar algumas notas fiscais que mostravam a compra de materiais de construção para a casa.

No entanto, os argumentos não foram aceitos pelo juiz e o mesmo considerou que havia provas suficientes indicando que a amante chegou a procurar Sandra no dia do casamento e até depois do evento, para contar sobre seu relacionamento com Ricardo. O juiz considerou ainda, que por se tratar de uma cidade pequena e a vítima ser conhecida, por trabalhar na área da saúde, a humilhação sofrida por ela ficou evidente. * Nomes alterados para preservação da imagem. Fonte: Regional Press.




0 COMENTÁRIOS DOS VISITANTES::

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.