12 novembro 2016

Começando 'com o pé esquerdo', Soninha Francine concede entrevista 'fora de sintonia' com as promessas de Doria

12/11/16 - Por Dennis Guerra: Talvez seja isso que alguns chamam de começar algo com 'o pé esquerdo', fazendo referência a algo que começa errado ou, no mínimo, confuso. Segundo o colunista Reinaldo Azevedo, a entrevista concedida pela futura secretária de João Doria foi desastrosa. Diga o que você pensa a respeito.

Veja também: Estamos todos catatônicos - O melhor é ficar quieto!

Soninha, futura secretária de Doria, concede entrevista desastrosa e nega promessa clara do agora prefeito eleito; tem de ser trocada já.

11/11/2016 - Por Reinaldo Azevedo: Programa, ou sei lá como chamar, anunciado por ela é justamente aquele que foi derrotado nas urnas; o que venceu no primeiro turno é outro; que Doria comece marcando a diferença já! Soninha, futura secretária de Doria, concede entrevista desastrosa e nega promessa clara do agora prefeito eleito; tem de ser trocada já. Programa, ou sei lá como chamar, anunciado por ela é justamente aquele que foi derrotado nas urnas; o que venceu no primeiro turno é outro; que Doria comece marcando a diferença já!

O prefeito eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), precisa tomar cuidado para que não comece a se desmentir antes mesmo de tomar posse. Por que digo isso? Se a maioria dos paulistanos quisesse o que promete, anuncia, sonha ou delira Sônia Francine (PPS), vereadora eleita e anunciada secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, teria votado em, deixem-me ver…, em Fernando Haddad… Teria votado em Luiza Erundina, do PSOL. A entrevista concedida por “Soninha” à Folha é uma impressionante soma de disparates — resvalando, adicionalmente, na grosseria pura e simples. Explico.

Comecemos pelo elementar. Doria prometeu acabar com o programa “Braços Abertos”, implementado por Haddad. Comprovado está que ele estimula o consumo de crack, em vez de coibir. O programa continua, diz Soninha, mas submetido a condicionalidades. Ah, bom… Diz ela: “Condicionar a remuneração à participação de oficinas, consultas, medicação, por exemplo. E podemos dar um voucher, e não dinheiro, que dê direito a almoço num restaurante, roupa nova, ingresso no cinema, viagem”.

Entendi. E quem impediria o dependente de vender o dito-cujo, fazer dinheiro e comprar a pedra? Tenham paciência!

Mas calma que também não é assim. Indagada se o voucher não poderia ser recusado pelos dependentes, ela se desdiz sem problema: “Podem ter autonomia para fazer o que quiserem com o dinheiro, mas a condicionalidade tem que ser revista. Se concluirmos, a partir de muita análise e reflexão, que o dinheiro é importante no tratamento, então poderemos mantê-lo”. Entendeu, leitor?

No momento verdadeiramente estupefaciente da entrevista, afirma:

“No mundo dos sonhos de Soninha Francine, a gente iria sintetizar o princípio ativo da maconha para ministrá-lo de maneira controlada. Existem estudos demonstrando que surte efeito para o auxílio da abstinência. A prefeitura deveria permitir que seja feito um estudo. Não quero desrespeitar a lei, quero uma interpretação compreensiva dela. Quem seria contra usar morfina no tratamento de câncer? Não sei o que o prefeito [eleito] pensa disso, sei que o Ronaldo Laranjeira, que é o principal mentor do Recomeço, abomina. Esse embate meu com ele é antigo. Defendo a legalização da maconha, ele acha absurdo. Essa postura dele, super rígida, inflexível e intolerante, gera impressões erradas a respeito do Recomeço. Dá a impressão que o Recomeço é só trancafiar dependente e pronto e o programa é muito mais que isso – tem oficinas, avaliações médicas e sociais e a internação compulsória é rara.”

Tenho mais o que fazer do que viajar “no mundo dos sonhos de Soninha Francine”! A comparação com a morfina dá conta da qualidade da argumentação. O que ficou claro na campanha é que o agora prefeito eleito disse que o norte seria o programa “Recomeço”, de que Ronaldo Laranjeira é o grande mentor. Tachar de “intolerante” alguém que discorda dela e que foi usado como uma espécie de estandarte do candidato Doria é, além de grosseiro, uma trapaça com o eleitor.

E Soninha deixa claro que não só pretende manter o Programa Braços Abertos como está determinada a extremar os seus defeitos. Leiam esta pergunta e esta resposta:

Os hotéis do Braços Abertos serão mantidos?

O objetivo tem que ser vaga em hotel social para todos, inclusive usuários de álcool, cocaína. Continuaria abrindo hotéis, mas não só para usuários de crack. São Paulo precisa de muito mais... Para aber mais clique AQUI. Fonte: Veja 


Compartilhe pelo seu Whatsapp e colabore conosco (Clique AQUI)
image

O Cão De Guarda Notícias

Autor e Editor

Dennis Guerra Contato Whatsapp 11 95580-1702

0 COMENTÁRIOS DOS VISITANTES::

Postar um comentário

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.

biz.