06 abril 2016

Quem paga por um sistema caolho, manco e inerte chamado Segurança Pública no Brasil?

06/04/16 - Por Dennis Guerra: A alguns dias foi imensamente debatido o caso de um juiz que mandou soltar traficante preso por guardas municipais. Sobre esse tema, você poderá ter um melhor entendimento assistindo ao vídeo produzido pelo Canal Azul Marinho e apresentado por Eliel Miranda. Veja também: Categoria Você Repórter


Agora, se estivermos realmente interessados em entender o problema real, no que diz respeito à Segurança Pública brasileira, partindo do princípio do atual modelo adotado e chegando a tais tipos de entendimentos jurídicos por parte - não apenas de um magistrado - como de boa parte da sociedade brasileira (incluindo grande mídia, políticos, gestores e integrantes de outras corporações) seria interessante assistirmos também ao vídeo abaixo, produzido por Joel C. Rafael e compartilhado em sua página no Facebook. Veja ainda: Por que os policiais apontam as armas no momento da abordagem?


Por fim, fica a seu critério concordar ou não com o conteúdo, não apenas do primeiro quanto do segundo vídeo. Na minha opinião, quem está na ponta sempre pagará por um sistema caolho, manco e inerte chamado Segurança Pública no Brasil.


Compartilhe pelo seu Whatsapp e colabore conosco (Clique AQUI)
image

O Cão De Guarda Notícias

Autor e Editor

Dennis Guerra Contato Whatsapp 11 95580-1702

0 COMENTÁRIOS DOS VISITANTES::

Postar um comentário

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.

biz.