Redes sociais e candidatos a Concurso Público - Fiquem atentos!

22/02/16 - Por Dennis Guerra: Você, que é candidato a guarda civil metropolitano da cidade de São Paulo, sabendo que ainda passará pela Investigação Social, como tem se 'comportado bem' nas redes sociais? Facebook, Twitter, Whatsapp e qualquer outro meio de comunicação deve ser considerado como ponto de extrema importância para a sua permanência no concurso e futura efetivação no cargo. Veja também: Candidatos do concurso para Guarda Civil vão às ruas e promovem versão digital do Abaixo Assinado - Se liga, Haddad!

Esta matéria tem a colaboração de Kleber Camargo. Vejamos alguns pontos:
  • Sempre que repassar informações que acreditem ser de importância ao conhecimento de outros, cite a fonte. Isso de monstra que você 'não é o autor' do texto. Mas tome muito cuidado com isso: o ato de 'apenas repassar', no mínimo, configura uma aprovação daquilo que foi escrito ou falado. Outro exemplo é o compartilhamento de textos provenientes de blogs e sites de notícias. Algumas pessoas costumam repassar apenas o texto e desconsideram o link de direcionamento - http://www.ocaodeguardanoticias.com.br/2016/02/voce-so-pensa-em-voce.html - Por exemplo. Cuidado, isso pode ser entendido como um texto de sua autoria, e depois, até você conseguir provar o contrário, já pode ser tarde;
  • Comentários sobre a instituição Guarda Civil Metropolitana, seus integrantes ou ações públicas relacionadas - ocorrências, dentre outros, podem ser entendidas como inapropriadas e em desconformidade com a posição de candidato ao ingresso. Nisso, by, by efetivação no cargo!
  • Manifestações públicas para fortalecer o concurso e as novas chamadas, conforme a Campanha Eu Quero Dar O Meu Sangue Por São Paulo, como tem o apoio e organização de entidade representativa da categoria, não seriam problema para o candidato. Todavia, comentários e insinuações sobre uma possível morosidade devem ser repensados, pois podem ser entendidos não como 'livre expressão do pensamento', e sim como ataques ao Poder Público e seus representantes.
É importante destacar ainda que essa não é - nem de longe - uma novidade em relação aos concursos. Muitas outras instituições, públicas ou privadas, vem analisando o perfil em redes sociais de candidatos - ou até mesmo os seus funcionários - para tomadas de decisões em relação à metas e objetivos da empresa. Em outras palavras, fica ou sai (ou nem entra) Se você concorda ou não, essa é outra estória.






Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, seja bem-vindo! Faça o seu comentário com responsabilidade. Muito obrigado!

Por Dennis Guerra