Aluno Oficial PM, aparentemente alcoolizado, desacata guardas municipais - Delegado alega que os GCMs cometeram abuso de autoridade

01/02/16 Você Repórter - Daniel Almeida: Em 31/01 a equipe de GOTE III da Guarda Civil de Guarulhos - cidade da Grande São Paulo - em patrulhamento pela Avenida Doutor Timóteo Penteado, deparou-se com um veículo que transitava sentido centro de Guarulhos. Veja também: Exclusivo - Delegado se equivoca na interpretação da Lei 13.022 e é orientado por guardas civis. Entenda melhor o caso!


Após o veículo ser contra uma motocicleta, e ultrapassando semáforo vermelho, foi ordenado ao motorista que parasse. Não respeitando a autoridade dos GCMs, efetuou manobras arriscadas na via e parou bruscamente, jogando o veículo sobre a calçada .

A equipe iniciou um diálogo, solicitando que o motorista descesse do veículo, a princípio negando-se e, aparentando estar embriagado, informou que era Aluno Oficial da Polícia Militar do Estado De São Paulo e a Guarda Municipal não tinha poder para abordá-lo. Veja ainda: Confusão entre as polícias paulistas segue dando 'novidades'

Após muita insistência, o homem cedeu e permitiu que fosse feito o procedimento de busca pessoal, porém informou que após a averiguação iria fazer contato com a instituição a qual pertence e iria solicitar que uma viatura fosse até o local pois não concordava com a abordagem realizada pelo GOTE GCM de Guarulhos.

Ao ser questionado se havia ingerido bebida alcoólica, o indivíduo deu risada e seus amigos que estavam no veículo responderam que beberam um pouco. Nesse momento o aluno oficial começou a gritar para os amigos “PODEM IR EMBORA ESSES CARA NÃO PODEM PRENDER NINGUÉM". Os acompanhantes começaram a dispersar, porém os guardas civis municipais - fazendo uso da autoridade concedida através da lei 13.022/14 - informaram que, caso insistissem em se retirar do local, seriam detidos e conduzidos ao Distrito Policial da área.

Nesse momento o Aluno Policial Militar se exaltou e, apontando o dedo ao encarregado da equipe, exclamou “SEU GUARDA DE *****, PAU NO **, VOCÊ NEM PODEM ME ABORDAR! EU SOU ALUNO OFICIAL ESTOU NO ÚLTIMO ANO E VOU TE *****"!

Imediatamente a equipe solicitou - via GCOM - a presença do CFP (Comando de Força Patrulha da Polícia Militar) pois, diante do desrespeito desse aluno policial, nada mais poderia ser feito pelo local e as medidas legais dentro do conceito jurídico seriam adotadas.

Com a chegada do CFP - equipe chefiada por um Segundo Tenente - e logo em seguida a chegada de um Capitão PM, que naquele momento exercia a função de supervisor regional, solicitaram ao aluno oficial que realizasse o teste do etilômetro, porém o indivíduo recusou- se a realizar tal exame.

Diante dos fatos, o aluno oficial foi conduzido ao 1° Distrito Policial pelo Comando de Força Patrulha, onde foi determinado pela autoridade de plantão que ele realizasse exame de sangue, e em seguida elaborou boletim de ocorrência de Embriaguez ao Volante e Desacato por parte do aluno.

Ainda por motivos que fogem à razão, os guardas municipais foram acusados por Abuso de Autoridade pelo mesmo delegado.



Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, seja bem-vindo! Faça o seu comentário com responsabilidade. Muito obrigado!

Por Dennis Guerra