Prefeitura quer GCM para fechar cerco aos 'campeões de multas' em SP

22/09/15 - 'Poder de polícia' dos guardas foi autorizado por uma lei federal, em agosto. Tatto quer que GCM possa parar motoristas, o que é hoje feito pela PM. O secretário municipal dos Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, disse nesta terça-feira (22) que a Prefeitura que fechar o cerco aos motoristas "campões de multas". Ele disse que mandou uma minuta de convênio à Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo para que a Guarda Civil Metropolitana (GCM) possa atuar também parando motoristas. Atualmente, esse trabalho é feito apenas pela Polícia Militar.


As declarações ocorreram durante o lançamento da 9ª Pesquisa sobre Mobilidade Urbana feita pelo Ibope, a pedido da Rede Nossa São Paulo e da Fecomercio SP. O “poder de polícia” da GCM foi autorizado por uma lei federal (13.022), sancionada em agosto pela presidente Dilma Rousseff. Desde então, a Prefeitura já estabeleceu um convênio entre a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e a GCM para que os guardas atuem também como fiscais de trânsito.

Integrante da Guarda Civil Metropolitana (GCM) fiscaliza velocidade na Marginal Tietê (Foto: Werther Santana/Estadão Conteúdo)
Tatto lembrou um dado já divulgado pela CET, de que cerca de 5% dos motoristas são responsáveis por 50% das multas da cidade. E disse ainda que muitos não pagam as infrações e já estão com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com a quantidade de pontos estourada. “Essa pessoa não pode circular na cidade. Esses 5% nem multando. Tem que tirar da via. É caso da polícia”, afirmou Tatto. A Prefeitura conta atualmente com mais de 800 radares na cidade dotados de leitor automático de placas (LAP), que permitem determinar a rotina dos motoristas infratores e pontos onde passam com frequência.

Desde 10 de setembro, a Prefeitura intensificou a fiscalização contra as motos nas marginais Tietê e Pinheiros com a volta do radar pistola. Desde o final de agosto, agentes da GCM estão em treinamento para operar manualmente os medidores portáteis. Já estão formados 210 guardas, todos com autorização para atuar como agente de trânsito.

Cai o uso do carro

A pesquisa divulgada nesta terça-feira mostrou que porcentagem de motoristas que têm carros e usam seus veículos todos os dias ou quase todos os dias caiu de 56% em 2014 para 45% em 2015. O secretário disse ainda que ficou “feliz” com o fato de apenas 53% reprovarem a redução dos limites de velocidade na cidade. Ele afirmou que o tema é recente e levantou polêmica na cidade, mas que já alcançou uma aprovação de 43% – outros 4% não souberam ou não responderam. O secretário também teve de responder a um dado negativo para a Prefeitura de São Paulo, que é o fato de 59% dos entrevistados dizerem que os ônibus estão mais lotados. “Por que o ônibus está lotado? Porque falta metrô. Tem linhas que você tem ônibus de três em três minutos. Não adianta por mais ônibus porque o viário não comporta. Precisa de transporte de massa”, disse.

Ele completou sua fala afirmando que os dados mostram que a Prefeitura de São Paulo está "no caminho certo", mas que o governo do estado e também o federal têm de atuar de forma incisiva para melhorar a mobilidade na capital.

Fonte: G1

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, seja bem-vindo! Faça o seu comentário com responsabilidade. Muito obrigado!

Por Dennis Guerra