O Brasil precisa é de menos conversa fiada e mais atitude - e sem frescuras!

26/07/15 - Por Dennis Guerra: Sinceramente, eu gostaria de me afastar de assuntos polêmicos, mas a hipocrisia em quê vivemos mergulhados me impede disso. Assistam ao vídeo da matéria produzida pelo CQC. O seu foco é o repasse da direção de uma escola estadual de Manaus a Polícia Militar do Estado do Amazonas.



Independente do militarismo imposto aos alunos - que torna-se o ponto principal da matéria - o repórter faz vistas grossas à redução da criminalidade e aos depoimentos de alunos que foram vítimas da violência.


Além do próprio pedido da comunidade pelas providências que foram tomadas, ou seja, o repasse da direção da escola a Polícia Militar.

Em outro ponto, ele comenta se ''... não seria mais apropriado um livro do que uma arma...''. Veja: a arma, por si só, não pratica o mal. Ela é apenas um mecanismo. Quem define de que forma será empregada é quem a utiliza.

Tudo bem colocar a polícia em xeque. Difícil é se impor assim na frente de criminosos.

Também é interessante o momento no qual uma aluna recebe os outros alunos prestando continência, assim como eles devem fazer ao adentrar a escola. O questionamento feito pelo repórter (Existe diferença entre os alunos?) me parece estranha. O que podemos perceber é um cumprimento em forma de respeito e, se há diferença: qual mais, além da própria hierarquia social ao qual estamos mergulhados?

Não é melhor esse tipo de cumprimento do quê 'pagar pedágio' para traficante na porta da escola?

Não, claro que não! O cumprimento militar é  grande pecado a ser expurgado de nossa sociedade.

Quando a escola era palco da criminalidade, não foi de interesse da mídia realizar uma visita nos confins do Brasil. Mas, se a polícia está resolvendo o problema à sua maneira - pois a falha não é de uma instituição, e sim de nossa sociedade - vira motivo de debates e chacotas.

Para quem é pai, mãe, vive de um salário baixo, em áreas periféricas de grandes cidades, envolto pela criminalidade, fica fácil entender a posição dos pais daqueles alunos. Esse seria bem o meu caso - e da maioria das pessoas que conheço.

Vejam abaixo o vídeo que mostra um 'aluno' agredindo uma professora e colegas se divertindo com a situação.



Para outros, cercados de possibilidades de se destacar na vida profissional - pois tiveram fortes bases de formação estudando em escolas particulares e em universidades públicas, onde as pessoas de baixa renda ainda necessitam implorar de joelhos por oportunidades, fica fácil enveredar pela infame crítica ao militarismo.

Vejam o que é Democracia: A comunidade local escolheu o sistema empregado. Quem discorda, não precisa se submeter a isso. Todo o excesso deverá ser eliminado, mas as bases para a formação do cidadão de bem não cabem discussão.

O que o Brasil precisa é de menos conversa fiada e mais atitude - e sem frescuras!



Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, seja bem-vindo! Faça o seu comentário com responsabilidade. Muito obrigado!

Por Dennis Guerra