03 fevereiro 2015

Lei de 2012 permite que veículos antes usados por quadrilhas sejam utilizados por investigadores para que não percam valor ou virem sucata


03/02/15 - Por Dennis Guerra: Quando judiciário e o legislativo se entendem, a polícia consegue trabalhar: é isso que podemos perceber na matéria abaixo. Encaminhado por Jorge Costa: Toda vez que a polícia prende algum chefe de quadrilha, um traficante muito procurado, os bens do bandido são apreendidos. Só que mesmo os bens 



mais valiosos, como os carros de luxo, por exemplo, muitas vezes acabam perdendo valor porque ficam em delegacias, ao relento, sem uso. Em Goiás, a Justiça decidiu mudar essa história. Um carro, avaliado em R$ 300 mil, vem sendo usado pela polícia de Goiás. Há oito meses, ele pertencia a Marcelo Gomes de Oliveira. O homem acusado de tráfico de drogas é foragido da Justiça. Outros dez veículos, todos de luxo, que também pertenciam ao grupo do traficante, agora estão à disposição dos investigadores. Veja a reportagem completa clicando AQUI


Até pouco tempo atrás, os carros apreendidos no Brasil que pertenciam a traficantes, geralmente tinham uma mesma destinação: ficavam anos e anos parados nos pátios das delegacias, até que o processo e todos os recursos fossem julgados pela Justiça. Demorava tanto que ao final de tudo, os carros já não serviam para mais nada.



A lei que mudou isso é de 2012. Para que o veículo não vire sucata, a Justiça pode determinar que ele seja usado pela polícia. Desde a mudança o juiz federal Alderico Rocha já destinou vários veículos para o trabalho dos investigadores. Ele também mandou a leilão antes mesmo do fim do processo mais de 500 automóveis.

“Além de agilizar, evitar a desvalorização desses bens, ela também consiste na resposta mais imediata no combate à criminalidade”, afirma o juiz federal Alderico Rocha.

Quem trabalha diretamente nas ruas, combatendo os traficantes, sabe que o apoio dos juízes é essencial. “Apreensão de drogas por si só não resolve o problema do tráfico de drogas no Brasil. No momento que você age nos bens, nos patrimônios, no dinheiro, nas fazendas, nos veículos, nas aeronaves destas organizações criminosas você abala o tráfico de drogas”, afirma o delegado Eduardo Prado.

Fonte: G1


0 COMENTÁRIOS DOS VISITANTES::

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.