01 dezembro 2014

Guardiões Provinciais de Guanagazapa - Qualquer semelhança com a realidade ou pessoas é mera coincidência

01/12/14 - Por Dennis Guerra: De certa forma, acredito que algo que eu nunca imaginei foi me tornar um escritor. Todavia, enveredar pelo tema seria interessante. Claro, nada muito elaborado, talvez com uma linguagem mais coloquial. Por isso resolvi criar a novela Guardiões Provinciais de GuanagazapaNela, você poderá encontrar as minhas tentativas de criar uma ficção atraente ao seu gosto 




literário. Guardiões Provinciais de Guanagazapa é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com a realidade ou pessoas é mera coincidência.

Introdução - O Reino de Guanagazapa

Guanagazapa é um reino não muito distante, governado pelo Rei Préfis em nome do Povo Phífios. Para auxiliar o reino, fora criada a legião Guardiões Provinciais de Guanagazapa. 

Liderada pelos Absolanteis, os guardiões buscavam de todas as formas proteger os mais fracos, principalmente em referência aos Khaídos - seres inescrupulosos, capazes de ataques covardes ao seu próprio povo e, principalmente, aos guardiões.

Guardião Provincial de Guanagazapa. Fonte/imagem: Google



Por outro lado, ainda existia uma relação forte entre os Khaídos e os Phífios por conta, justamente, de terem as mesmas origens.

Dentre eles, destacam-se os HipócreteisOs guardiões encontravam resistência até mesmo entre os seus líderes.

O Rei Préfis queria resultados - mas não assumiria quebrar doutrinas estabelecidas com o povo - ao mesmo tempo que ignorava necessidades de seus guardiões.


Capítulo I - O ataque dos Khaídos e a covardia de Absolanteis


Durante uma festa promovida pelos Hipócreteis em favor dos Khaídos, guardiões provinciais foram determinados pelos Absolanteis a permanecer nas festividades.

Khaídos: Seres inescrupulosos, capazes de ataques covardes ao seu próprio povo e, principalmente, aos guardiões. Fonte/imagens: Google




Milhares de Khaídos se dirigiram à festividade. Centenas deles promoviam a desordem, utilizando-se de ervas proibidas pelo reino, conhecidas como annabis.

Muitos se dirigiam aos guardiões, sabendo da superioridade numérica e a proteção dos Hipócreteis, que chegaram a pedir a um dos Absolanteis que os seus guardiões comparecessem desarmados de seus arcos, flechas e espadas - o que não foi aceito pelos guardiões.

Em determinado momento, houve confusão e muitos Khaídos fugiram. Outros, utilizaram pedras para agredir os poucos guardiões. Uma guardiã foi ferida e levada para um local seguro.

Ao final, o Absolanteis, chefe dos guardiões, aproximou-se de um Hipócreteis. Conversaram por longo tempo.


Foto: Guardiã ferida. Fonte/imagem: Google



Aquele chefe, que deveria ter ficado ao lado de seus subordinados, deixou o local como um fardo aos Guardiões Provinciais de Guanagazapa, ao se demonstrar como uma fraco, buscando apenas o reconhecimento próprio, ao colocar os seus guardiões na posição de culpados pela confusão...

Absolanteis: Não pensam duas vezes ao condenar os seus guardiões em favor de garantias de manutenção poder.

Guardiões Provinciais de Guanagazapa é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com a realidade ou pessoas é mera coincidência.





0 COMENTÁRIOS DOS VISITANTES::

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.