Marcelo Rezende - Quando a 'água bate na bunda'!

11/11/14 - Por Dennis Guerra: Enquanto me organizo para atualizar as notícias neste site, fico de ouvido colado na TV, mais especificamente no Programa Cidade Alerta. É durante esse momento que ouço o apresentador Marcelo Rezende se mostrando indignado com a notícia do jornalista que foi 




raptado por criminosos no Rio de Janeiro - RJ e torturado. Detalhe: os marginais acreditavam ser o repórter um policial - por essa razão ele teria sido vítima do crime. Veja o caso abaixo:

Repórter de site é sequestrado e agredido por criminosos

O repórter Henrique Coelho (foto), do portal de notícias G1, foi rendido e agredido por dois criminosos no início da tarde desta segunda (10), quando fazia uma reportagem no complexo de favelas do Alemão, na zona norte do Rio. De acordo com a rádio CBN, Coelho apurava a falta de moradias nas comunidades do conjunto quando começou um tiroteio entre policiais e bandidos. O jornalista decidiu interromper o trabalho e estava caminhando até o carro da reportagem, onde era esperado pelo motorista.

No caminho, porém, ele foi abordado por dois criminosos, que o renderam e o levaram a um galpão abandonado. Dentro do imóvel, o repórter foi agredido a socos e coronhadas e libertado depois que os bandidos roubaram seu celular. Coelho foi socorrido e encaminhado a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da comunidade. Segundo familiares, ele passa bem. Estadão Conteúdo. Fonte: Blog do Júnior Duarte

O interessante sobre o desabafo do jornalista Marcelo Rezende, que cita até mesmo os representantes das organizações de Direitos Humanos - até aí, como ele mesmo comentou, nunca aparecem para visitar as vítimas e sim os criminosos - é que, além de contribuir com um jornalismo sensacionalista, ele colabora também com essa inversão de valores.

VEJA AINDA: 


E MAIS:


Inversão de valores por colocar as ações das Forças de Segurança em xeque, reforçando a formatação de opinião pública contra os agentes do Estado. Aí, quando a água bate na bunda, ele sente-se indignado.

Imagina os guardas civis metropolitanos da Cidade de São Paulo sentiram-se quando colegas foram agredidos - e um deles morto - por um ambulante (que segundo algumas fontes, já tinha passagem pela Justiça.

Ou ainda, no caso do PM que tentou conter a revolta de ambulantes, chegando a matar um deles após ser cercado. Fica fácil falar que o policial é despreparado, correto?



Ah, mas não tem problema: enquanto for polícia, 'tá na moda falar mal. Mas quando lhes atinge, aí é outra coisa.

Agora, falar das vítimas em geral da sociedade, nem seria necessário, pois quando falamos dos que estão aí para defendê-las e já se tornaram vítimas, é porque algo está realmente fora dos eixos.

Como somos hipócritas!



Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, seja bem-vindo! Faça o seu comentário com responsabilidade. Muito obrigado!

Por Dennis Guerra