Vou pedir 'baixa' (e fazer algo menos técnico)

20/09/14 - Por Dennis Guerra: Estive pensando por certo tempo e tomei a seguinte decisão: Vou assinar o meu 'pedido de baixa'. Para aqueles que trabalham na área policial, principalmente, entendem o significado claro desta frase - é deixar de ser políciaE o porquê de tal atitude? Analise comigo: Para ser policial, você faz curso de formação, condiciona-se a utilizar de forma apropriada os seus equipamentos, estuda inúmeras leis, 

VEJA TAMBÉM: Resistência - Você faria isso se não devesse?


técnicas de abordagens, aprende a definição do que é a violência, a criminalidade e a prevenção, os aspectos jurídicos disso e daquilo, uso diferenciado da força, técnicas de utilização de equipamentos com menor potencial ofensivo, conceitos disso e daquilo... tudo isso e mais um pouco sempre considerando os direitos humanos e o respeito à pessoa.

VEJA AINDA:


Aprende que você é o representante do Estado e que o Estado deve ser representado por você com todo o respeito aos princípios garantidos pela Constituição Brasileira, pois, do contrário, você vai responder os excessos, tendo a sua pena agravada exatamente por ser um agente público - independente de estar ou não uniformizado.

E aí, uma parte da sociedade, que se perdeu em uma imensa inversão de valores, resolve atacar o Estado, que é uma figura abstrata - a não ser, claro, se você policial estiver no momento e hora errada. Pronto: agora você tem a cara do Estado. E se fizer merda (entenda por merda aquilo que deve ser feito e será motivo de condenação pelos hipócritas e politicamente corretos, desprovidos de senso de ordem e justiça) o Estado vai tentar tomar a sua alma - e provavelmente irá conseguir!

E a sua família, parceiro...

E, por que então ser policial se podemos ocupar uma função menos técnica e sem tantos contras referente à profissão?



Além do bônus de não ser nem mesmo condenado, com a vantagem de poder escrever ou falar qualquer porcaria, pois tem imenso apoio daqueles que consideram tais balbúrdias como formas de democracia - sabe aquele lance da esquerda-caviar, que defende mas não leva pra casa?

Cara, vou procurar emprego como Jornalista com especialização (aqui sendo ainda mais irônico) em Sensacionalismo - isso sim é um emprego bem menos técnico e muito mais irresponsável - Ou seja, é algo que não precisa de técnica, mas necessita um mínimo de habilidade para se fazer merda - que aqui tem esse sentido mesmo.




P.S.: Para aqueles que estão realmente esperando por isso, contentem-se apenas com este artigo escrito, na sua essência,  com liberdade poética. Fonte/imagem: Mais Together


Sobre o autor - Dennis Guerra: Brasileiro, 38 anos de idade, casado: Doze anos na Guarda Civil Metropolitana; Onze anos na função de Motociclista; Gestão Específica. Cursos SENASP: Condutor de Veículos de Emergência; Violência, Criminalidade e Prevenção; Técnicas e Tecnologias Não Letais para Uso Policial; Capacitação em Educação para o Trânsito; Aspectos Jurídicos da Abordagem Policial e Uso diferenciado da Força. Outros: Táticas Operacionais Defensivas - CFSU; Escolta e Batedor com Motocicletas - PRF; Pilotagem Segura com Motocicletas CET; Pilotagem Defensiva Honda Indaiatuba Curso de Educador - CFSU.


Compartilhe:

Um comentário:

  1. Pois e e quem está há mais tempo espera a aposentadoria e não quer nunca mais ouvir falar de policia. Acho que estamos jogados a própria sorte. Quem não conhece nosso trabalho nos ataca e quem deveria nos defender se omite. Triste o povo que vai as urnas não pra votar mas apenas por obrigação. A imprensa só fala o que ela mesmo quer ouvir.

    ResponderExcluir

Olá, seja bem-vindo! Faça o seu comentário com responsabilidade. Muito obrigado!

Por Dennis Guerra