20 setembro 2014

Coronel da PM fala sobre morte de ambulante

20/09/14 - O coronel da Polícia Militar, Mauro Lopes, falou sobre a ação do policial que atirou e matou um vendedor 

ambulante durante uma operação contra a pirataria, na zona oeste de São Paulo. O coronel lamentou a morte da vítima e a prisão do PM e disse que as investigações continuam. Para assistir, clique AQUI. (Mais vídeos do Brasil Urgente).

Da Redação: Análise é de que não houve erro grave


Por Wagner Pereira: Ontem (18/09/2014), no Largo 12 de Outubro, no Bairro da Lapa, na Cidade de São Paulo, assistimos mais um episódio da intolerância da população Paulistana contra o Estado, inaceitável que uma ação legitima de fiscalização possa resultar em letalidade e ainda mais com uma nova execração pública de seus agentes. Durante a fiscalização do comércio ambulante, 03 (três) Policiais Militares abordaram um vendedor de DVD’s “FALSIFICADOS”, que gerou tumulto e conseqüentemente a morte de um transeunte que deliberadamente buscou o enfrentamento ao Policial Militar que tinha sua arma em punho.

VEJA AINDA: 
Na ação, não temos como justificar a agressão inicial emanada ao ambulante cometida por um dos Policiais Militares, que junto com outro não conseguiu o imobilizar e algemar, a partir daí a ocorrência que deveria ser simples virou um circo, quando o único Policial Militar se ateve na proteção de seus companheiros, foi justamente o ator principal do resultado, se tornando o vilão para a mídia. Somente quem trabalhou na fiscalização do comércio ambulante sabe como é difícil sua realização, o que não deve ser o caso do Coronel PM José Vicente da Silva Filho, que precipitadamente emanou sua opinião de forma totalmente equivoca e sem qualquer fundamento empírico, no artigo “Análise: é que houve erro grave”, publicado no Portal Estadão, pois as imagens são claras ao demonstrar que os Policiais Militares estavam acuados, tanto que mesmo com a arma em punho, constatamos que algumas pessoas buscaram desafiar a autoridade constituída e não atenderam a “determinação legal de se afastar”, passando a exaltar calorosamente gritos de “atira”, quando um cidadão deliberadamente tenta tomar das mãos do policial o gás pimenta, ocasionando de forma instintiva o disparo de arma de fogo.

Lamento, que esse mesmo Estado vire as costas para aqueles que buscam manter a ordem desejada pelos ditames políticos-institucionais, pois é difícil compreensão que ocorra o indiciamento por homicídio doloso e imediata prisão do Policial Militar. Acredito que alguém que assista às imagens (assista o video) possa ter alguma dúvida de que o cidadão não tinha consciência de que estava tentando subtrair material de um policial militar, que tinha a arma em punho, e que conseqüentemente poderia ocorrer o disparo, o dolo é do agressor, que tinha a intenção do enfrentamento sem a devida justificativa, pois os demais policiais tentavam imobilizar o ambulante irregular (assista o vídeo).

Os especialistas e técnicos em “desegurança pública”, brandeiam que é descabida a alegação de legitima defesa do Policial Militar, porém seria cabível a sustentação de que o Cidadão possuía legitimidade para atentar contra os agentes do Estado? Quem realmente deu causa ao resultado? Não podemos esquecer que os Policiais Militares estavam realizando a “Atividade Delegada”, considerada com a maior política pública de segurança pública do País, ou seja, deveriam estar de folga, mas devido aos baixos salários, estavam a serviço do Governo do Estado e remunerados pela Prefeitura do Município de São Paulo, portanto, trabalhando mais do que deveriam.

A segurança pública de São Paulo se encontra numa encruzilhada, pois enquanto os índices de criminalidade aumentam cada vez mais, os órgãos de segurança pública estão inseridos na fiscalização do comércio ambulante, moradores de rua, eventos esportivos, desapropriações, em que a população se rebela constantemente com os agentes que cumprem as ordens do Estado, questionando porque a Polícia não prende os bandidos, e porque não os corruptos que arrebentam as finanças públicas.

Fonte: Os Municipais


Um comentário:

  1. SEM DEMAGOGIA, ESTAS FIGURA QUE FALAM E FALAM MUITO, SEMPRE QUESTIONARAM ATUAÇAO DA GUARDA NESTAS OPERAÇOES.SEMPRE DIZENDO QUE A GUARDA CIVILMETROPOLITANA NAO TINHA PREPARO. SO QUE EM TODOS OS ANOS QUE A GUARDA CIVIL METROPOLITANA ATUOU NUNCA HOUVE NENHUMA MORTE. E AGORA QUEM NAO PREPARO E A GUARDA CIVIL OU A POLICIA MILITAR DO ESTADO DE SAO PAULO. ME RECORDO QUE EM MUITAS VEZES QUE TRBALHEI NAS OPERAÇOES MARRETEIRO, QUE OS PROPRIOS POLICIA MILITARES INCITAVAM OS MARRETEIROS CONTRA AS NOSSAS AÇOES. A VERDADE TEM QUE SE DITA CHEGA DE DEMAGOGIA E FALSIDADE. SE VOCE ANALISAR A LEI DELEGADA E UMA ABERRAÇAO JURIDICA AFINAL FISCALIZAR OS COMERCIO ILEGA E PRERROGATIVA DO MUNICIPIO ATRAVES DA GUARDA CIVIL METROPOLITANA.

    ResponderExcluir

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.