19 agosto 2014

Skaf defende redução da maioridade penal em visita a centro da PM em SP - Empresário defendeu mudança no Estatuto da Criança e do Adolescente. 'Estamos em um estado gravíssimo', disse em relação à segurança pública

19/08/14 - Candidato ao governo do estado de São Paulo pelo PMDB, o empresário Paulo Skaf disse ser a favor da mudança no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) pela  

redução da maioridade penal. A declaração foi dada após visita à sede do Centro de Operações da Polícia Militar, no Bom Retiro, na capital paulista, na tarde desta terça-feira (5). Assista à entrevista clicando AQUI.
"Sou a favor, sim. A partir do momento que você tem um jovem de 16 anos com direito de escolha do presidente da República, direito a voto, da mesma forma ele tem que ter responsabilidade. Direitos sempre são acompanhados de responsabilidades", disse.
Para o candidato, um dos principais problemas do estado é a questão da segurança pública. "Estamos em um estado gravíssimo, eu diria que nós temos muitos problemas, mas este é um estado de emergência", defendeu.
Skaf visitou o centro de operações da PM. (Foto: Lívia Machado/G1)


Skaf valorizou o uso da tecnologia do novo Centro de Operações da PM, inaugurado no dia 11 de junho deste ano, mas defendeu a necessidade de uma política de valorização das policias.  
"Fiquei muito bem impressionado com o que vi aqui, e o que sinto prioritariamente é a valorização dos policiais. Muitas vezes eu caminho pelo estado, pela capital e converso com policiais e vejo pouco estímulo, os policiais se sentindo desvalorizados", disse.
O empresário afirmou que seu plano de governo prevê estreitamento na relação entre o chefe de estado e as policias. Skaf crê em tal postura como a "solução" para combater o crime organizado.
"Vou fazer questão de exercer a função de comandante chefe das polícias. Temos que recuperar a cultura investigadora da Policia Civil, temos que aproveitar grandes, excelentes profissionais, delegados, que muitas vezes ficam perdendo tempo dedicado à burocracias quando poderiam estar usando seu talento investigativo", disse.
Ele ainda destacou que pretende investir em tecnologias de monitoramento para o controle de divisas. "Temos que ter um serviço de inteligência integrado das polícias, uso de câmeras, drones."

Fonte: G1 - Eleições

Por Ari Friedenbach: Hoje li duas reportagens sobre maioridade penal. Na primeira dizia que a proposta do Governador Geraldo Alckmin pode ser votada em setembro. A proposta é a melhor dentre as apresentadas, alterando de 3 para 8 anos de pena máxima em casos de crimes hediondos. Quero lembrar que tentei por anos alguma ação junto ao Governo e ao Senado e fui ignorado em todas elas.
Outro candidato ao Governo de São Paulo, Paulo Skaf, declarou ser favorável à redução da maioridade para 16 anos, afirmando que se com esta idade tem direito ao voto o jovem já pode ser responsabilizado. Uma verdadeira hipocrisia, a consciência política pode estar madura nesta faixa etária, mas a noção do certo e errado vem muito antes disso. Este devia ouvir a base da sua candidatura, pois conseguiria propostas efetivas.
Para ver a reportagem clique AQUI 


Há mais de dez anos, defendo a responsabilização do menor que comete crimes hediondos, independente da idade. A ideia é justamente na verificação do "Animus necandi", ou seja, a vontade de matar. Assim, ao cometer um crime, o jovem deverá ser examinado por uma junta psiquiátrica competente, a qual vai analisar se ele tem ou não consciência do que fez. Em caso afirmativo, o juiz, por meio de uma alteração legal e não constitucional, emancipará o menor para ser julgado como maior, cumprindo o inicio da pena na Fundação Casa e, após atingir a maioridade no Sistema Prisional Comum. Fonte: Facebook.

0 COMENTÁRIOS DOS VISITANTES::

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.