27 junho 2014

Agentes da Guarda Civil Metropolitana sofrem intoxicação respiratória durante invasão irregular de terreno no bairro da Brasilândia - Zona Norte de São Paulo

27/06/14 - SANTANA Jornalista: Nesta quinta-feira, os Agentes da Guarda Civil Metropolitana da Inspetoria Regional da Freguesia do Ó, Classe Distinta Lopes, GCM Malaquias, GCM Elton e GCM Neville, em cumprimento à Ordem de 




Serviço 024/CON/2014 foram vítimas de grave intoxicação respiratória, em detrimento a mais uma invasão irregular de terreno na região da Brasilândia, zona norte de São Paulo. A nova invasão localizada na Rua Elísio Reinaldo Moraes - próximo do número 4800 da Avenida Cantídio Sampaio, inciou-se durante o período da manhã, estendendo-se durante todo o dia.

Já durante a noite, a situação se agravou, pois os invasores iniciaram a queima de lixo, mato e demais materiais como tinta, gasolina e etc. Materiais estes que, em combinação formam um ingrediente altamente tóxico e lesivo ao organismo humano.

Estando estes agentes da autoridade em cumprimento à ordem legal, os mesmos ficaram expostos à todos estes agentes em combustão, fato este que ocasionou grave intoxicação respiratória. 

Obrigando que os mesmos fossem socorridos ao Hospital Geral de Vila Penteado, onde o Dr. Adair Tadeu CRM 52398 ratificou a intoxicação dos agentes, tendo como base o CID (classificação internacional de doenças) Y26 Intoxicação por fumaça venenosa.

Durante o atendimento, os agentes passaram por exames, ficando em observação e sendo liberados do serviço por 03 dias, conforme o CID descrito acima.

O Ronda Oficial Norte, Inspetor Molinari acompanhou e apoiou os agentes durante o atendimento e demais providências necessárias. O GCM Malaquias, que se encontrava em situação mais grave só veio a ser liberado no Hospital Geral de Vila Penteado horas após o início do atendimento, somente por volta da 01:00hr, sendo deslocado para a sua residência posteriormente.

Estas invasões ilegais e irresponsáveis, tornaram-se uma constante na Cidade de São Paulo, isso devido à precariedade da Legislação vigente e a falta de atitude e punição à estes indivíduos.

O problema, além de complexo, envolve questões judiciais, sanitárias, social e principalmente política, pois não há um entendimento no modus-operandi e uma interligação de toda a rede de serviços tanto do Estado como do Município. 

De modo que, todo atendimento e consequências ficam apenas à cargo dos Agentes da Guarda Civil Metropolitana, que na condição de agentes da autoridade, estão sendo sobrecarregados e obrigados a cobrirem a ausência dos demais órgãos do poder público, como a Subprefeitura, Defesa Civil, Conselho Tutelar, Polícia Militar e etc.

Viaturas envolvidas: N-4056 CD Lopes, GCM Malaquias e GCM Meneghetti - N-4053 GCM Albuquerque, GCM Elton e GCM Neville, N-4058 Inspetor Molinari e GCMF Fernanda.

Fotos do terreno: CD Jailson Unidade Ambiental

SANTANA
Jornalista DRT 73071




0 COMENTÁRIOS DOS VISITANTES::

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.