04 maio 2014

O Cão De Guarda Notícias nos Campos Elíseos - Um passeio pela história de São Paulo

04/05/14 - Por Dennis Guerra: Nesta semana a equipe do O Cão De Guarda Notícias esteve na região da Nova Luz, vulgarmente conhecida por cracolândia - centro de São Paulo. Conhecida por muitos como uma área degradada e que tem a sua imagem ligada ao tráfico e consumo de entorpecentes, a 



região vem sendo alvo do Programa Braços Abertos, da prefeitura de São Paulo e do Programa Crack: É possível Vencer! do governo federal. Com forte presença da Guarda Civil Metropolitana (e também da Polícia Militar) nos últimos meses, as pessoas transitam com maior tranquilidade pela região. Fotos: Dennis Guerra



VEJA AINDA: 




























Porém, o que poucas pessoas conhecem é que a região, que já foi o primeiro bairro nobre de São Paulo, tendo sido destino dos grandes produtores de café da cidade, foi um dos primeiros bairros planejados de São Paulo. Além disso, a região apresenta interessantes opções (turísticas) como o Museu da Energia (ou de lazer)  como a Sala São Paulo e O SESC Bom Retiro.

Saiba mais sobre o bairro:

Neste bairro está localizada a antiga sede do Governo do Estado de São Paulo, o Palácio dos Campos Elísios, que pertenceu anteriormente ao aristocrata e político Elias Antônio Pacheco e Chaves, localizado na antiga alameda dos Bambus, futura avenida Rio Branco, e que proporcionou a reutilização de suas iniciais entrelaçadas "EC" para "CE", nos portões da mansão, bem como em toda a louça, prataria, etc. do anterior proprietário. A sede do Governo foi transferida posteriormente, após sofrer um incêndio, para oPalácio dos Bandeirantes, no Morumbi. Veio a abrigar posteriormente a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo. A Sala São Paulo e a Estação Júlio Prestes, que foi reformada para ser a maior sala deconcertos da cidade, também se localizam no bairro.

bairro dos Campos Elísios foi idealizado e loteado por empresários suíços no fim do século XIX, em 1878, notadamente pelo suíçoFernando Glete e o alemão Victor Nothmann, que adquiriram antiga chácara e a lotearam.

A localização era privilegiada: próximo da Estação de trem Sorocabana, inaugurada em 1878, (atual estação Estação Júlio Prestes) e da Estação da Luz e, ao mesmo tempo, não muito longe do centro da cidade, os espaçosos terrenos do loteamento eram ideais para abrigar as mansões e residências dos barões do café quando vinham à capital a negócios. O Liceu Coração de Jesus, renomada instituição pedagógica também se instalou na área. E ficava nas cercanias o principal hospital da cidade à época, a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

Algumas das ruas foram batizadas com os sobrenomes destes empresários ou em homenagem aos seus países de origem, como Alameda Glette, Alameda Nothmann, Alameda Cleveland e Rua Helvetia, que é um outro nome para a Suíça.

No início do século XX, os Campos Elísios eram um bairro bastante elegante, abrigando as mansões e residências dos barões do café e a residência oficial do Presidente do Estado de São Paulo (atual governador do Estado): o Palácio dos Campos Elísios, na Avenida Rio Branco, uma de suas vias mais importantes.

A partir de década de 1930, os Campos Elísios sofreram com o prejuízo dos barões do café que lá moravam. Com as dificuldades dos cafeicultores, e seus herdeiros que repartiam as heranças, e que optaram por mudarem para novos bairros, muitos casarões e mansões foram demolidos, cedendo espaço a prédios de apartamentos. Outros continuaram de pé, sendo alugados e sublocados, transformando-se em pensões, cortiços e moradias coletivas precárias.

Mas outros fatores também contribuíram para a decadência progressiva do bairro, entre as décadas de 1930 e 1990:
  • a inauguração da antiga estação rodoviária da cidade, atualmente desativada, que se instalou a poucos quarteirões do bairro, próximo à estação de trem Júlio Prestes;
  • a transferência da sede e da residência oficial do governador do Estado de São Paulo para o Morumbi (Palácio dos Bandeirantes), diminuindo a relativa importância política do bairro, a conservação de ruas e o policiamento em torno do governador;
  • o processo de decadência e esvaziamento do centro da cidade, a partir da década de 1970, com a transferência de muitos escritórios para a região da Avenida Paulista;
  • a falta de atratividade do bairro para a classe média, uma vez que a maioria dos prédios de apartamentos lá construídos, das décadas de 1930 e 1940, não tinham garagem, pois na época poucos carros eram utilizados, nem área de lazer, pois não havia clubes locais, (os edifícios passaram a ser ocupados por famílias de renda mais modesta, que não tinham condições de conservar adequadamente os imóveis);
  • o elevado número de cortiços, que inibia a perspectiva de novos empreendimentos imobiliários;
  • vizinhança com os bairros da Luz e Santa Ifigênia, áreas conhecidas como Cracolândia, onde a prostituição, a marginalidade e o uso de drogas prosperavam.
Nem a inauguração de duas estações da linha 3 do Metrô de São Paulo - Estação Santa Cecília e Estação Marechal Deodoro -, durante a década de 1980, reverteu esse processo de esvaziamento.

Nos últimos anos, a iniciativa privada (aproveitando os 21% das 13 imóveis desvalorizados, porém com ótima infraestrutura de acesso) tem ocupado e reformado alguns casarões e edifícios antigos, como é o caso de grandes empresas como a Porto Seguro Seguros e Tejofran. Entretanto, a iniciativa privada foi proibida e as ações ainda tímidas, apesar dos projetos municipais de revitalização do centro da cidade.


Ainda é possível encontrar muitos cortiços e habitações precárias. Além disso, o bairro, por estar localizado entre a Barra Funda - onde está a oficina de reciclagem de papel Boracéa - e o centro de São Paulo, acaba por atrair catadores de papel e muitos moradores de rua que vivem desta atividade. Alguns terrenos vazios e desocupados, lindeiros à rede ferroviária da CPTM, foram invadidos por sem-terra, onde foi constituída a Favela do Moinho.


Favela do Moinho com a vista dos Campos Elíseos ao fundo. Foto/reprodução

Apenas um núcleo do bairro preservou características das décadas de 1930 e 1940. Trata-se da região próxima à rua Chácara do Carvalho (antiga propriedade do Conselheiro Antônio da Silva Prado, com seu majestoso palacete), onde fica oColégio Boni Consilii: ali ainda existem alguns poucos casarões e edifícios residenciais de porte, muitos com garagem, ocupados ainda por pessoas de classe média. Fonte de pesquisa: Wikipedia

Museu da Energia



Dois tempos: Na primeira foto/reprodução, a frente do museu com o antigo proprietário do casarão, Henrique Santos Dumont - irmão mais velho de Alberto Santos Dumont - no portão de entrada e a vista atual do prédio. Foto: Dennis Guerra
O Museu da Energia de São Paulo, inaugurado em junho de 2005, é um espaço aberto à comunidade. Em suas salas, equipamentos interativos e atividades como jogos e projeções de filmes convidam os visitantes de todas as idades a participar de experiências científicas e a refletir sobre questões atuais envolvendo o tema da energia e seu futuro. A história da expansão urbana e industrial da cidade de São Paulo nos últimos 150 anos também está presente nas salas do museu. O edifício-sede do museu é outra atração. Construído entre 1890 e 1894, quando o bairro dos Campos Elíseos era o endereço mais sofisticado da cidade, o palacete foi residência de Henrique Santos Dumont, irmão do aviador Alberto Santos Dumont e um dos homens mais ricos do Brasil na época. Saiba mais clicando AQUI
Abaixo, duas etapas da restauração do prédio: No início da restauração e depois da obra finalizada (mais precisamente, durante a montagem desta matéria)  Foto/reprodução e original: Dennis Guerra














SESC Bom Retiro
Localizado entre as Alamedas Cleveland e Nothman, é uma grande opção de lazer juntamente com a família.
Foto: Dennis Guerra




Liceu Coração de Jesus
O Colégio Liceu Coração de Jesus está localizado no bairro de Campos Elíseos em São Paulo, na Alameda Dino Bueno, 285. Saiba mais clicando AQUI
Santuário do Sagrado Coração de Jesus
A história do Santuário do Sagrado Coração de Jesus nos remete ao final do século 19, mais precisamente ao dia 24 de junho de 1881, quando Dom Lino Deodato, durante as solenidades da festa litúrgica do Sagrado Coração de Jesus, abençoava a pedra fundamental da Capela do Sagrado Coração de Jesus, uma iniciativa dos Vicentinos. A capela acabou cedendo lugar a uma nova construção – um grande santuário em honra ao Coração de Jesus - , que contou com o apoio de figuras eminentes da época, como dona Veridiana Prado e o conde Prates, e todo o povo paulistano. Em 17 de novembro de 1901, sob a administração dos Salesianos de Dom Bosco, o templo foi inaugurado, tornando-se um Centro de irradiação de fé e devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Saiba mais clicando AQUI

Palácio do Governo
Os muros de mais de 2 metros de altura em plena região da Cracolândia, ao lado do terminal de ônibus Princesa Isabel e dos usuários de drogas que perambulam pelo entorno,escondem as pistas do que foi por 44 anos o epicentro da política paulista. Apenas os portões de ferro deixam entrever a arquitetura de ares renascentistas do Palácio dos Campos Elíseos, imóvel de quatro pisos e 4 000 metros quadrados, inspirado no Castelo de Écouen, na França. Ele deve voltar a ganhar um papel de destaque na cidade graças a um grande projeto de revitalização. Entre 2008 e 2009, sua fachada foi restaurada, ao custo de3,65 milhões de reais. Desde meados de junho, o imóvel está mergulhado na fase final de sua recauchutagem: a reparação da estrutura interna, com previsão de duração de dezoito meses e 14,5 milhões de reais em gastos. Saiba mais clicando AQUI


Sala São Paulo

O imponente edifício da Estrada de Ferro Sorocabana abriga hoje a Sala São Paulo, sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e uma das mais importantes casas de concertos e eventos do País. Saiba mais clicando AQUI

Foto: Renata Guazzelli




Memorial da Resistência

O Memorial da Resistência de São Paulo, uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo por meio de sua Secretaria da Cultura, é uma instituição dedicada à preservação de referências das memórias da resistência e da repressão políticas do Brasil republicano (1889 à atualidade) por meio da musealização de parte do edifício que foi sede, durante o período de 1940 a 1983, do Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo – Deops/SP, uma das polícias políticas mais truculentas do país, principalmente durante o regime militar. O Memorial da Resistência é vinculado à Pinacoteca do Estado de São Paulo, um museu público e sem fins lucrativos. Desde 2005, e a partir da assinatura de contrato de gestão com a Secretaria de Estado da Cultura, a Pinacoteca é administrada pela Associação Pinacoteca Arte e Cultura, qualificada como Organização Social da Cultura. Saiba mais clicando AQUI


Nota do editor: A postagem tem como único objetivo destacar lugares que possam despertar interesse do público, tanto no sentido histórico quanto turístico, salvo quaisquer outras considerações a respeito. As fontes de pesquisa são destacadas nos links ao final dos trechos de cada indicação. Foto: Thays Adriana

Sobre o autor: Dennis Guerra - Brasileiro, 38 anos de idade, casado: Doze anos na Guarda Civil Metropolitana; Onze anos na função de Motociclista; Gestão Específica. Cursos SENASP: Violência, Criminalidade e Prevenção; Técnicas e Tecnologias Não Letais para Uso Policial; Capacitação em Educação para o Trânsito; Aspectos Jurídicos da Abordagem Policial e Uso diferenciado da Força. Outros: Táticas Operacionais Defensivas - CFSU; Escolta e Batedor com Motocicletas - PRF; Pilotagem Segura com Motocicletas CET; Pilotagem Defensiva Honda Indaiatuba Curso de Educador - CFSU.




Clique nas imagens abaixo e saiba mais!













3 comentários:

  1. Parabéns Guerra, nós que somos moradores da região nos sentimos muito prestigiados com a sua reportagem.
    Excelente olhar ao Bairro e pontos turísticos.
    Abraços GCM-F Marlisa e CD Bifon

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Guerra, nós que somos moradores da região nos sentimos muito prestigiados com a sua reportagem.
    Excelente olhar ao Bairro e pontos turísticos.
    Abraços GCM-F Marlisa e CD Bifon

    ResponderExcluir
  3. Valeu Iani! Pelo o que vejo, você curtiu esta matéria, principalmente por já conhecer 'in loco' a importância do bairro. Abraços!!!

    ResponderExcluir

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.