17 abril 2014

O Bico e a Incrível Máquina de Clones

17/04/14 - Por Dennis Guerra: Nesta semana reencontrei um colega de serviço que a muito não o via. Enquanto prosseguíamos na conversa, percebi que nele uma certa chateação e um cansaço que percorria todo o seu corpo.



Antes de continuar este caso, gostaria de dar um salto no tempo e voltar a alguns dias atrás, enquanto conversava com a minha esposa durante e exibição de um filme na TV. Era por volta de três da tarde quando resolvemos largar as coisas de casa e trabalho (no meu caso, as atualizações deste site) para nos distraímos com coisas amenas e aproveitar o dia. O nosso menino estava liberado para utilizar o notebook e acessar a internet.

Enquanto ríamos com as trapalhadas das personagens, ele nos olhava e dizia: Parecem crianças assistindo ao filme. Claro que também largava o notebook de vez em quando e tentava acompanhar o que ocorria na TV. Em certo momento, eu disse a ela: Por tudo nesse mundo, espero nunca mais ter de fazer bico.

Bem, para quem desconhece este termo, bico é um tipo de trabalho eventual com pequenos ganhos. Na área policial, é uma prestação de serviços extra que alguns agentes encaram para completar a renda mensal.


Tudo bem, eu não faço bico (considerando que era a principal causa que me atrapalhava a cursar a faculdade por conta de não sobrar tempo para isso). Então você não me verá circulando por aí com um automóvel relativamente novo e nem mesmo morando em uma casa razoável. O que tenho hoje limita-se à uma motocicleta de 1997 e moro em uma casa muito simples (em um terreno dividido), que é herança de família. Melhor do que muitos que não tiveram a mesma sorte, ou seja, ainda por cima pagam aluguel.

Outros tem mais sorte e conseguem um bico que pague melhor - até mesmo que o próprio serviço público ao qual pertence. Nesses casos, podem até conseguir comprar um carro do ano trabalhando um pouco menos.

No nosso caso, porém, a relação familiar e o convívio cotidiano traz um alento que qualquer necessidade a mais de bico colocaria tudo a perder. Fico com a moto 97 e o convívio familiar.

Quanto ao meu colega, ele disse que andava muito cansado, pois estava fazendo dois bicos (!) e isso estava exigindo muito dele. Considerando que serviços deste tipo entre agentes de segurança são de conhecimento público, conforme os salários baixos e outros fatores, até mesmo dois bicos se tornam um absurdo relativamente comum.

No final da conversa, ele contou esta história:

Ando muito cansado: como falei, faço dois bicos. Outro dia cheguei em casa e o meu filho queria brincar comigo. Cara, não conseguia ficar acordado! Depois de adormecer no sofá, acordei com ele sugerindo a compra de algo que ele havia acabado de ver em algum desenho animado que passava na TV. Ele disse:

Papai, vi que existe uma máquina de clones. Por que o senhor não compra uma”?

Espantado com o assunto, indaguei o porquê de comprar uma máquina como essa. Ele respondeu:

Para você mandar um clone trabalhar no seu lugar enquanto o senhor fica aqui comigo”.


















Sobre o autor - Dennis Guerra: Brasileiro, 38 anos de idade, casado: Doze anos na Guarda Civil Metropolitana; Onze anos na função de Motociclista; Cursando Gestão Específica. Cursos SENASP: Violência, Criminalidade e Prevenção; Técnicas e Tecnologias Não Letais para Uso Policial; Capacitação em Educação para o Trânsito; Aspectos Jurídicos da Abordagem Policial e Uso diferenciado da Força. Outros: Táticas Operacionais Defensivas - CFSU; Escolta e Batedor com Motocicletas - PRF; Pilotagem Segura com Motocicletas CET; Pilotagem Defensiva Honda Indaiatuba Curso de Educador - CFSU.

2 comentários:

  1. Muito bom parceiro eu também graças a meu bom Deus não faço mas bico.Outro dia o meu amigo me chamou para fazer um bico e eu recusei e ele disse o que você vai fazer amanha eu disse nada então porque não quer fazer esse bico então eu falei para amanha vou levar meu filho a escola depois vou ficar de papo para o ar e atarde vou tomar um belo cafe com minha esposa

    ResponderExcluir
  2. Parabéns!!!

    Muito pertinente seu artigo, opinião centrada e com muita propriedade, fico feliz com sua preocupação e o elevado grau de profissionalismo como conduz o Cão de Guarda, tenho certeza que você conduzirá de forma exemplar a GCM/SP num futuro muito próximo.

    ResponderExcluir

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.