23 março 2014

Assembléia Geral Unificada - Guardas civis metropolitanos de São Paulo rejeitam proposta do governo (Atualizado)

23/03/14 - Por Dennis Guerra: Na noite desta sexta (21) O Cão De Guarda Notícias esteve na assembléia convocada pelas entidades sindicais para discutir a proposta apresentada pelo governo para a GCM/SP. Veja o texto sobre o resultado da assembléia retirado do site Sindguardas - SP:


EM ASSEMBLEIA GERAL CATEGORIA DECIDE RECUSAR A VERGONHOSA PROPOSTA E IR A LUTA!


"Em 21 de março de 2014, cerca de 300 Trabalhadores e Trabalhadoras da GCM se reunirão em Assembleia Geral Unificada entre Sindsep, Abrguardas e Sindguardas-SP na sede dos Bancários no edifício Martilelli para avaliar a segunda proposta de reestruturação e valorização feita pelo Governo.

Gonçalves (Abraguardas), Carlos Augusto (Sindguardas - SP) Wesley e Sérgio Antiqueira (Sindsep) e Clóvis Pereira (Sindguardas - SP) 



Tratava-se de uma piada de meu gosto um pouco menos ruim do que a primeira. Nesta o Governo ofereceu 5% de reajuste para 1º de maio de 2014, reestruturação com ascensão de no máximo duas referências (na proposta do Sindguardas-SP o máximo são três) e 10,23% para maio de 2016. A categoria foi unanime em recusar a proposta.

































VEJA AINDA:



Qual o rumo que a categoria deu após se indignar novamente com a cara de pau do governo em propor quebrar o que já havia sido decidido? A Categoria decidiu ir a luta! Este governo que foi eleito para mudar, mas nos parece seguir a mesma linha do anterior, sinais que podem ser vistos na falta de papel higiênico nas unidades e na politica de arroxo salarial do trabalhador, que nos viu defender a sede da Prefeitura dos vândalos irá nos ver do outro lado da grade já no dia 04 de abril.

Imagem que circula pelas redes sociais demonstrando descontentamento com a proposta apresentada pelo governo.





























Neste dia haverá um ato unificado de todos os Servidores da Prefeitura para cobrar do Sr Prefeito Haddad a politica de valorização que parece ter ficado lá em 2012 na campanha eleitoral." Fonte: Sindguardas - SP


Saiba mais no texto abaixo publicado pela ABRAGUARDAS

Em 21 de março de 2014, foi realizada a reunião setorial, participando representantes do governo de dos trabalhadores.

O governo alterou a proposta anterior, oferecendo um reajuste de 5% para vigorar a partir de maio de 2014, reestruturação da carreira para 1º de janeiro de 2015 e reajuste de 10,23% para 1º de maio de 2016.

Manteve o aumento de três letras com progressão automática, tendo o interstício de três anos, assim, o GCM ingressante na carreira, após completar 21 anos de serviço estaria migrando para a letra “H”. 

A tabela de cargos apresentada demonstrou certa distorção com a realidade da GCM, motivo que será revista, inclusive as acomodações no cargo.

Pretende-se propor aumento para 2017, porém sem confirmação.

Pretende-se ascensão funcional por meritocracia, ou seja, o servidor acumularia pontos durante sua vida funcional, que o classificaria dentro do cargo, habilitando-o para o próximo cargo, assim, deixaria de haver o concurso de acesso, porém sem confirmação.

Estudos estão sendo feito, no sentido de excluir do cômputo do abono suplementar as gratificações de motorista e unidades estratégicas.

Foi dada garantia de que seriam revista as promoções dos GCM 2ª Classe que tiveram sua progressão atrasada por culpa da administração.

Nossa visão:

A proposta se analisada, caso a caso, não resta dúvida de que parte do efetivo teria um ganho acima da inflação prevista entre 2013 e 2016, porém, alguns servidores teriam um aumento muito próximo a inflação e, num primeiro momento, 2014, uma diminuição salarial no vencimento líquido. A disparidade apresentada deve ser motivo de discussão, pois, a aceitação influencia na carreira de GCM, que terá um salário inicial, padrão mais RETP, inferior ao menor salário de Nível Médio da Prefeitura, R$1.380,00 , ao nosso ver, significa uma vergonha para uma instituição que não mede esforços, nem poupa seus servidores, ao atender as necessidades da administração pública.

Qualquer aumento proposto não se perpetua no tempo, se não for estabelecido um fator de reajuste para a recomposição de perdas ano a ano.

Devemos lembrar que a inflação corrói nossos vencimentos, vejamos a inflação calculada por período:

Janeiro de 2004 a dezembro de 2013

IGP-M – 82,84%
IGP-DI – 82,20%
IPC-FIPE – 61,24%
INPC – 69,18%

Devemos considerar que tivemos aumentos de 20% de RETP e 20% de aumento no padrão, com previsão de inflação de 6% ao ano, assim, 2014, 2015 e 2016, temos algo em torno de 19,1% de perda prevista.

Por média dos indicadores apresentados, nosso salário teve uma desvalorização de 73,86%, porém, nos foi dado um aumento de, aproximadamente, 44%, acumulando uma perda de 29,86%, somando a previsão de 19,1% de inflação, no período de 2014 a 2016, um aumento de 48,96%, no padrão, representa que em 2016 estaríamos recebendo o mesmo valor pago em 2013, sem aumento real, somente recomposição de perdas.

Se considerarmos o IPC-FIPE, o menor índice apurado, a desvalorização é de 61,24%, menos o aumento de 44%, temos uma perda acumulada de 17,24% mais a previsão de 19,1% de inflação para 2016, perfazendo um total de 36,34%.

Assim, para um piso salarial de R$652,31, o ideal seria o piso de R$978,46 e,minimamente, R$889,36.

Desta forma, pela política de valorização profissional do governo, que assumiu compromisso na mesa de negociação de promover a recomposição salarial, nada mais justo de que o salário inicial do GCM seja o inicial do Nível Médio, ou seja R$920,00.

A proposta do governo indica que a elevação de cargo é aumento de salário, porém de forma equivocada, pois desconsidera o aumento da complexidade da função, representando ao servidor maior responsabilidade.

Por fim, entendemos que a valorização profissional está relacionada a uma carreira atrativa, com salário inicial digno e perspectiva de ascensão, por este motivo se denomina carreira.

Marcos Luiz Gonçalves
Diretor Abraguardas


"Quem rejeita a proposta apresentada pelo governo que levante a mão" Wesley Dias - Sindsep

Foto: Fernando Coelho / Maurício Villar



























Assista ao vídeo abaixo: Sra. Valéria Ap. Athaíde - Sindguardas - SP









Apoio:



Gostou desta postagem? Compartilhe com os seus amigos em suas redes sociais
e ajude-nos a divulgar o nosso trabalho!




Permitida a reprodução se feita na íntegra e citada a fonte original


4 comentários:

  1. Estive lá, a proposta precisa ser melhorada, mas não devemos ser intransigentes.O Clóvis foi muito feliz quando disse que havia um discurso romântico, solidário e inconsistente com os que estão ingressando na carreira.

    Que a carreira começa pagando mal, sabemos desde o inicio, o edital dos concursos de ingresso não mentem sobre o nosso salário, ainda que seja mesmo ridículo.
    De fato muitos ingressam na carreira e desistem. Alguns pelo salario, mas muitos porque o trabalho da GCM não é pra qualquer um mesmo. Esta evasão não é exclusividade das polícias, na educação e saúde também é assim.

    Continuo, acreditando que os que persistiram na guarda, seja pelo idealismo, constância ou necessidade, serão beneficiados sim com a proposta. Os mais antigos então, serão muito beneficiados financeiramente.

    A assembleia de ontem, para a discussão sobre a proposta do governo para a GCM, fez ecoar no clássico Edifício Martinelli um discurso sindical enferrujado, as vezes radical, tratando o poder constituído democraticamente como um inimigo, um grande sabotador da Guarda. Não acho que o caminho adequado seja este.

    Mantenho minha opinião, de que esta proposta pode ser melhorada, mas não é de todo ruim.

    Abraço a todos!

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado pela participação Tadeu... um abraço!

    ResponderExcluir
  3. É Tadeu infelizmente seu pensamento é igual ao do Clóvis, que pensa somente em seu estomago, pois se é uma reestruturação de cargos e SALÁRIO cade a de salário onde o gcm 3 classe vai continuar passando fome e vc e o clóvis comendo filé mi nhom, vamos acordar pois pensamentos egoístas, é o que leva e sempre levará a nossa amada guarda ao buraco, estou disposto a perder quantos cargos forem precisos para dar um salário melhor na base pois ai meu salário terá junto um ganho.!!!!!!!reflitam. pois pensar no próximo não é romantismo.

    ResponderExcluir
  4. Lamentável, nós estamos colhendo o que o sindicato nosso sempre plantou.... a não estamos colhendo nada??? Então ele não plantou nada , sempre foi fraco e incapaz de REALMENTE lutar pelos interesses da categoria

    ResponderExcluir

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.