21 janeiro 2014

Guarda Municipal de Apiaí presta apoio na enchente em Itaoca

21/01/14 Você Repórter - Anderson Oliveira: Durante a catástrofe que afetou o pequeno município de Itaoca, interior de SP, foram empregados diversas forças estaduais e municipais para os mais diversos serviços. Em cada canto da cidade haviam diversas equipes de vários lugares ajudando moradores, limpando residências invadidas por entulhos e lama e até mesmo na busca por corpos e desaparecidos.




O prefeito de Apiaí, Ari Kinor, sensibilizado com a situação designou o imediato deslocamento da Guarda Municipal com o objetivo de ajudar no controle de possíveis tumultos e apoiar o transito da cidade que teve suas ruas parcialmente destruídas. A GM ficou também responsável pelo local onde estavam sendo depositados os corpos para reconhecimento.

“Durante todos os dias podíamos acompanhar o sofrimento das pessoas, muitas delas haviam perdido tudo, bens materiais e principalmente familiares que tiveram suas casas levadas pela enchente, um cenário de guerra”, comentou o GM Sandro Dias.

Diante da situação, algumas ocasiões marcaram e ficarão em nossa memória para o resto de nossas vidas.

Abaixo alguns relatos de guardas municipais que atuaram nessa tragédia:

“Estávamos no galpão da Garagem municipal quando começaram a chegar os primeiros corpos, uma a um a nós ajudávamos a retira-los de caminhonetes de voluntários que ajudavam no transporte” GCM Joel Lopes


“Uma Mãe buscava desesperadamente por informações sobre sua filha que havia sido arrastada juntamente com o marido e uma criança de 2 anos,. Toda vez que chegava uma vitima ela corria para entrar na fila do reconhecimento, porém nunca reconhecia. Nós até tentávamos acalma la, mas em um determinado momento o corpo apareceu, muito deformado mas uma tatuagem na perna foi o suficiente.




Tentávamos manter a postura, mas o lado humano pesava e muitas vezes era impossível segurar a emoção.” Supervisor Noel Silva

“Uma mãe andava pelas ruas e não tinha pra onde ir, perguntei a ela o que havia acontecido em sua casa e ela me relatou que no momento da enchente só havia conseguido erguer seu filho de um ano e 9 meses em cima de uma estante enquanto tentava se segurar e manter a criança segura, a água chegava ao seu pescoço” GCM Oliveira


Muitas equipes de voluntários chegam a todos os momentos, além de caminhões de donativos vindos de diversas cidades do Estado de São Paulo e do Paraná. Existem também equipes de voluntários de cidades vizinhas que se mobilizam e vão de casa em casa oferecendo ajuda para limpeza e remoção dos entulhos.


Fotos: equipe no local




De uma maneira ou de outra todos querem ajudar. Até o fechamento desse artigo já haviam sido encontrados 23 corpos, alguns deles impossíveis de serem reconhecidos. A cidade continua em estado de calamidade e tenta aos poucos se reerguer após a tragédia.


Um comentário:

  1. Parabéns ao sr.Prefeito e aos GCM´s de Apiaí!
    É um trabalho diferenciado e especial...acalmar as pessoas que estão no aguardo da chegada de corpos dos parentes e manter a postura não deve ser fácil!
    Apiaí é terra natal de um irmão que eu adotei aqui na GCM/SP e eu sempre brinco com ele e digo que tenho inveja dos GCM´s apiaienses porque eles têm viatura Marruá!
    Deus abençoe e conforte as vítimas deste desastre!
    UM FORTE 73!
    GCMF THAYS - AMBIENTAL FÓ.

    ResponderExcluir

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.