05 janeiro 2014

FEBAGUAM divulga estatísticas que comprovam o risco da profissão de guarda municipal no Brasil

05/01/14 - Na imagem fotos de vários GCMs que foram assassinados em vários estados do Brasil no ano de 2013. O ano de 2013 consagrou-se mais um ano sangrento para todos os guardas civis municipais do Brasil. Em uma pesquisa aprofundada sobre ataques contra a vida e assassinato desses agentes, tendo como base a divulgação dessas informações em diversos sites de notícias do Brasil, estamos divulgamos uma triste estatística que mostra que cada vez mais GCM 




estão sendo alvos da violência, mostrando que esta atividade é de alta periculosidade. Para comprovar esta realidade, o GM Alan Braga, secretario do Conselho Deliberativo da Federação Baiana das Associações dos Guardas Municipais – FEBAGUAM, acompanhou durante todo o ano de 2013, de janeiro a dezembro, todos os casos de ataques contra a vida e assassinato de Guardas Municipais no Brasil na qual conseguimos, constatar os seguintes dados:


Estatística de Ocorrências contra os GCM´s no Brasil
Estado
Ataques
Assassinatos
Acre
0
0
Amazonas
0
1
Amapá
0
0
Alagoas
2
1
Bahia
13
5
Ceará
1
1
Espírito Santo
0
0
Goiás
6
1
Mato Grosso
0
0
Mato Grosso do Sul
2
1
Maranhão
0
0
Minas Geras
2
0
Pará
1
0
Paraíba
1
2
Pernambuco
1
4
Piauí
0
0
Paraná
8
0
Rio Grande do Norte
0
0
Rio Grande do Sul
0
0
Rio de Janeiro
4
6
Roraima
0
0
Rondônia
0
0
São Paulo
28
17
Santa Catarina
3
0
Sergipe
0
0
Tocantins
1
0
Total
73
39




Este ano o estado de São Paulo liderou o número de ocorrências contra guardas municipais, porém logo em sequencia a Bahia destaque em segundo seguido do estado do Rio de janeiro. Cabe lembrar que o estado de São Paulo é o estado que possui o maior efetivo de Guardas Municipais do Brasil, assim como o maior número de corporações de Guardas Municipais oficialmente armadas, porém a Bahia apenas possui um único município com guarda municipal que podem utilizar armas de fogo oficialmente autorizado conforma lei 10.826/03 (Estatuto do Desarmamento) e o estado do Rio de Janeiro não possui nenhuma GCM oficialmente armada.


Na imagem foto do GCM de Cotia que foi assassinado ao tentar apartar uma briga do próprio irmão com a esposa.


Mesmo com informações como estas ainda existem gestões municipais que insistem em dizer que guardas municipais não correm risco de vida no desempenho de suas funções, e que não possuem direito a o adicional de risco de vida (ou adicional de periculosidade). Não podemos esquecer os casos que tivemos como o agente da Guarda Municipal de Salvador que foi assassinado quando fazia uma ronda de rotina quando passava pelo bairro do arenoso, do agente da GCM de Araci - BA que foi atacado quando estava se deslocando para sua residência, o comandante da GCM de Mairinque - SP que foi assassinado juntamente com a sua esposa dentro de sua residência em frente do filho do casal, o GM de Ourolândia/BA que participou de uma ação juntamente com a PM que eliminou uma vasta plantação de maconha e foi assassinado alguns dias depois quando se dirigia para sua residência.

Guarda Municipal de Paulínia que foi atacado a pauladas por meliantes

Muitos gestores municipais não conhecem a sua Guarda Municipal, o munícipe na sua maioria não conhece o papel das instituições policiais e as vezes o próprio agente da Guarda Municipal não conhece a sua profissão, não assumindo realmente o seu dever constitucional. Muitos gestores ainda alegam que "Segurança Pública é dever do Estado", querendo jogar a responsabilidade apenas para os governos estaduais, como na verdade o "Estado" citado no artigo 144, do Capítulo III, do Título V da Constituição Federal significa "Poder Público" em geral, ou seja, é de responsabilidade da União, Estados-membros, dos municípios e do Distrito Federal.

E enquanto na é feito, enquanto as guardas municipais lutam para poder portar uma arma de fogo legalmente, e enquanto muitos gestores municipais vêem os seus agentes das GCM´s como meros vigias, porteiros, ou um cargo politico em troca de favores, mais agentes são atacados e assassinados em todos os municípios do Brasil, e consequentemente vem infelizmente alimentando mais ainda esta nossa triste estatística.


Texto por Alan Braga

Fonte: FEBAGUAM

3 comentários:

  1. Parabéns ao autor, este tipo de estatística sobre as GCM´s é muito dificil de se encontrar seria muito importante se uma analise mais profunda ainda fosse feita em cada estado pois tenho certeza que esses números seriam maiores ainda. Cada estado tem que implantar também nos sistemas de registro das Policiais Civis o código "GCM" para que possam sair estatísticas pelas Secretarias Estaduais de Segurança Pública informações como estas.

    ResponderExcluir
  2. O reconhecimento desta estatística deve-se à falta de interesse,e respaldo jurídico dos Governos em equipar melhor seus policiais,oferecendo melhores condições de salário e serviço,além do reconhecimento pelo profissional em serviço.O desestímulo dos profissionais de Segurança Pública na maioria das cidades se devem a estes fatores.

    ResponderExcluir
  3. Isso só vem a mostrar o quanto as GCM´s vem sendo cada vez mais importantes nos seus municípios. Porém infelizmente ainda muita pouca coisa é feita para valorizar de fato estes profissionais em muitos municípios do Brasil. Na Bahia mesmo existem muitos guardas municipais que malmente ganham um salário mínimo, que malmente tem uma farda... Temos que ter no Brasil a municipalização da segurança pública e uma lei definitiva com todas as atribuições das GCM´s, sendo que todas devem ser armadas independente do quantitativo populacional.

    ResponderExcluir

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.