01 outubro 2013

Olhe da sua aba pra baixo...Errei, estou devendo!

01/10/13 - Por Dennis Guerra: Uma frase que costumeiramente me chama a atenção é: Olhe da sua aba para baixo. Esta frase refere-se a um termo comum em corporações militares ou instituições que usam elementos do militarismo como base. 





Ela faz uma alusão à aba da cobertura (boné ou quepe) utilizado por integrantes de forças policiais. Seria como dizer: Não me chame a atenção, pois sou o seu chefe - olhe até o limite da aba de sua cobertura!

Veja que pesquisa interessante: 

Macacos em hierarquia intermediária sofrem mais estresse no grupo
“Pesquisadores da Universidade de Manchester e da Universidade de Liverpool, ambas no Reino Unido, analisaram macacos para um estudo e chegaram à conclusão de que os que vivem na hierarquia intermediária, isto é, não são nem líderes nem párias, são os que sofrem os maiores níveis de estresse do grupo. O estudo, publicado no periódico General and Comparative Endocrinology, indica que uma das origens do estresse dos animais são os conflitos sociais em que vivem. Os resultados podem valer também para o comportamento humano, na opinião dos cientistas. Eles ponderam que a pesquisa pode ajudar a entender outras análises, que apontam que pessoas na hierarquia intermediária de empresas (subchefes, por exemplo) sofrem as maiores quantidades de estresse no trabalho. (...)

CONFLITOS

Macacos na hierarquia intermediária “estão envolvidos tanto em conflitos com os abaixo como com os que estão acima dele no grupo. Já os que estão na base hierárquica se distanciam de confrontos”, pondera a pesquisadora Susanne Shultz. Os macacos da hierarquia intermediária são mais propensos a desafiar e a serem desafiados por aqueles em degraus mais altos do grupo. Eles são os que tiveram os maiores níveis de hormônio de estresse, segundo a cientista. A fêmea de uma espécie de macaco foi monitorada por Katie por quase 600 horas, em uma reserva de proteção dos animais. Ela registrou os comportamentos do animal ao longo dos dias, inclusive os que denotavam conflitos, como tapas, ameaças, perseguições e gritos. Também foram registradas ações que indicavam carinho, como abraços (...) Saiba mais clicando aqui!






Bem, uma das conclusões a que podemos chegar com essa pesquisa é de que todos estamos sujeitos à uma certa carga de estresse. Melhor seria consideramos a possibilidade de lidarmos com essa carga considerando opiniões de outras pessoas do ambiente de trabalho que possam estar menos influenciadas por uma possível sobrecarga de estresse, até mesmo por sua posição inferior na cadeia funcional.

Eu, particularmente, prefiro a frase Errei, estou devendo - ela é mais humana!


Fonte de pesquisa: SECTI - 10 anos em 01/10/2013 às 18:56h.

Sobre o autor: Dennis Guerra: Doze anos na Guarda Civil Metropolitana; Onze anos na função de Motociclista; Gestão Específica. Cursos SENASP: Violência, Criminalidade e Prevenção; Capacitação em Educação para o Trânsito; Aspectos Jurídicos da Abordagem Policial e Uso diferenciado da Força. Outros: Táticas Operacionais Defensivas - CFSU; Escolta e Batedor com Motocicletas - PRF; Pilotagem Segura com Motocicletas CET; Pilotagem Defensiva Honda Indaiatuba Curso de Educador - CFSU

2 comentários:

  1. Bom vamos lá, Jesus Cristo lavou os pés de seus discípulos, mostrando-lhes o exemplo a ser seguido, o general Sun Tzu se vestia como o soldado mais raso , montava sua própria barraca e só comia depois de todos , quando era CE da equipe bravo de VG Pta, só ia embora depois do último homem apoiando em tempo integral Dp, hospital , porquê ? O exemplo parte de cima , referência são meus atos, não exigia oque não tinha, também pensava numa máxima militar, "A tropa é espelho do chefe "a pergunta é como está minha imagem, meu respeito ?

    ResponderExcluir
  2. http://edsonjnovaes.wordpress.com/2013/09/25/atras-de-mim/

    ResponderExcluir

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.