2010 / 2017

"Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada"
Edmund Burke

"O Cão De Guarda Notícias era uma janela para o mundo que esteve aberta entre os anos de 2010 a 2017, deixando agora um vazio enorme em meu coração" Por Dennis Guerra

15 outubro 2013

Convidando para a reflexão: Portadores de Necessidades Especiais atuando na Segurança Pública

15/10/13 - Por Márcio Alves: É noticia na imprensa de São Paulo a decisão da Secretaria Municipal de Segurança Urbana de reservar no atual concurso para a Guarda Civil Metropolitana vagas para portadores de necessidades especiais nos quadros da corporação. A matéria convida a reflexão, num momento em que a inclusão destas pessoas é assunto constante em nossa sociedade;




seja na mídia, no mundo corporativo, nas casas legislativas e também no executivo; uma vez que muitas prefeituras mantém secretarias para tratar da mobilidade e da inclusão destes cidadãos.

Não é de se estranhar que alguns consultores, especialistas e até membros da corporação se mostrem contrários a iniciativa da pasta. Afinal a primeira imagem que vem a mente é a de um cadeirante por exemplo, exercendo a função de um guarda civil, nas situações que lhe são mais comuns e que exijam mais do servidor no que se refere à condição física.

Porém, vale lembrar que o agente público que deve atuar nesta condição, deve exercer funções as quais se adpte melhor; conforme o nível de sua condição especial.  Acredito que já no treinamento, se pode verificar e direcionar o profissinal para que exerça uma determinada função.

Voltando a polêmica  iniciativa, sabemos, nós os guardas civis; dos riscos, adversidades e peculiaridades desta profissão. Também sabemos que há muitos servidores "prontos" exercendo funções administrativas e de menor periculosidade, nem por isso de menor importância ; em que pese a falta de efetivo. Imaginemos então o quanto do efetivo em condições não poderia ser aproveitado no serviço externo; sendo substituido, mesmo que progressivamente pelos novos guardas civís em condição especial que passariam a colaborar com os serviços  administrativos: video monitoramento, comunicação e atividades similares.

Seria um ganho imediato no que diz respeito ao aumento de efetivo, somando-se a isto, os guardas civís aprovados no concurso atual e que não se enquadrem nestas condições. 
E o servidor que agora lê este texto e amarga, por vezes, horas no aguardo de sua rendição em serviço, sabe bem o que é a tal falta de efetivo.

A GCM históricamente é pioneira em grandes projetos, acredito que este será mais um: O da inclusão em suas fileiras de pessoas na realidade em que se encontram.

Chegou a hora de mudar a imagem do recrutamento do "super-homem", que nem sempre atende às expectativas a contento. 
O guarda civil, diariamente atende um sem número de ocorrências, inclusive direcionadas para este grupo. Imaginemos então o que um guarda, nestas condições, sabendo de determinadas dificuldades; não poderia trazer de agilidade e eficiência ao atendimento da corporação.

VEJA AINDA:

Mas para que surta efeito, precisamos também mudar a mentalidade e vencer amarras preconceituosas que mantemos mesmo sem querer. Isto vale também para a corporação, na pessoa de seus gestores; que acertam na iniciativa; tornando-se diferentes de outros em posição similar que ignoram o candidato especial e por vezes abandonam aquele servidor, que em razão da profissão torna-se portador de deficiência fisica ou necessidade diferenciada.

Neste sentido, a deficiência está em nós!

"Quando não aceitamos a possibilidade de incluir, esquecemos que por conta do serviço público; poderemos se excluidos também!"

O primeiro efeito do ingresso de pessoas com necessidades especiais no efetivo da Guarda Civil Metropolitana, já é uma aproximação ainda maior da população.


Não se pode esquecer que a adaptação maior será feita pelos integrantes da GCM, com o incentivo e a colaboração; bem como pelos gestores, uma vez que diversas unidades e até mesmo o Centro de formação em segurança urbana não são totalmente acessíveis e dificultam o deslocamento de quem precisa de condições especiais. 


"Do povo para o povo"




Gostaria  de desejar boa sorte aos novos candidatos, em especial aos que virão desta reserva de vagas e dizer-lhes "sejam bem-vindos, venham com garra; somar e ajudar a fazer de São Paulo uma cidade mais humana.”  Com a reserva de vagas para estes candidatos, a GCM/SP cumpre a máxima: 

"Do povo para o povo."


Márcio Alves - 
Guarda Civil Metropolitano e colaborador O Cão De Guarda Notícias 


6 comentários:

  1. Parabéns ao GCM Márcio Alves pela matéria.
    Vale ressaltar que a deficiência não se limita ao corpo, mas, sobretudo a mente e ao caráter.
    Sejam todos bem-vindos a Nação Azul!!!!

    ResponderExcluir
  2. Todos ficam condoídos com as limitações dos outros, porém, quando esse povo chegar nas Inspetorias, com restrições médicas e, ocupar o lugar daqueles que não possuem problemas, é que nos veremos até onde irá essa "solidariedade".
    Lembrem-se que estes novos GCMs entraram com readaptação médica, não podendo atuar na área operacional.
    Porém, o salário será igual aos dos demais, inclusive, para os casos de concurso interno...

    ResponderExcluir
  3. Talvez o amigo ae Anônimo não tenha se apercebido que uma das vantagens deste ingresso é justamente ocupar o lugar daqueles que não possuem, como ele mesmo escreveu : "problemas".
    Estes mesmos servidores,apesar de trabalhar em ambiente interno,já recebem salario igual a quem presta serviço de rua!
    Talvez deva perceber que inclusão, acessibilidade e aceitação não tem relação com dó ou comoção pela condição do especial.
    Ainda acredito que quando esse pessoal chegar às bases, facilmente provarão que em vez de deficientes, eles serão 'eficientes..'
    È aguardar..

    Marcio Alves.

    ResponderExcluir
  4. Quero agradecer o artigo encaminhado pelo Márcio Alves. O seu ponto-de-vista é compartilhado por muitos, inclusive por mim. Quero agradecer também os comentários nesta postagem. E, para finalizar, quero fazer uma observação: Não fico 'condoído' com situações como essas, e também sei que quando 'esse povo' chegar às inspetorias não ocuparão o lugar de pessoas sem problemas, desde que as regras sejam claras e a continuidade do projeto seja levado à sério, não sendo apenas uma jogada política. E não só de 'área operacional' se faz uma corporação, sendo assim, supondo que o trabalho exercido por aqueles que darão esse suporte seja realmente aproveitado, a isonomia salarial é direito, não favor.

    ResponderExcluir
  5. Alguém leu o edital no que diz respeito aos candidatos com deficiência ou só prestaram atenção na quantidade de vagas??? Só li abobrinha até agora. Vamos ler o edital por completo não só o título ... bizuguarda ... terrível me envergonho.

    ResponderExcluir
  6. I os cansados? os 80 milhão que estão escondidos atras de laudo medico? Acha mesmo que vai melhorar, pra mim tem vários concursos para pessoas nessas condições e isso e POLITICAGEM DO ROBERTO PORTO E MENEZES QUE ALMEJAM CARGOS ACIMA ISSO SE ME ENTENDEM.

    ResponderExcluir

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.

Tecnologia do Blogger.