2010 / 2017

"Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada"
Edmund Burke

"O Cão De Guarda Notícias era uma janela para o mundo que esteve aberta entre os anos de 2010 a 2017, deixando agora um vazio enorme em meu coração" Por Dennis Guerra

31 agosto 2013

Boletins eletrônicos já equivalem a 45% dos BOs em SP

_midia_Imagem_0001918731/08/13 - Do portal da SSP-SPCom uma média de 5.000 solicitações em todo o Estado por dia, os registros de ocorrências via Delegacia Eletrônica já equivalem a 45% do total dos boletins da cidade de São Paulo neste ano. De janeiro a julho, foram mais de 331 mil boletins eletrônicos de ocorrências (BEOs) recebidos, ante 404 mil BOs registrados nos distritos policiais (DPs) da Capital.



Criado em 2000, o serviço tem sido utilizado com maior frequência a cada ano e tem na Capital sua maior procura. No total do Estado, os pedidos por boletins virtuais equivalem a mais de 37% dos boletins registrados fisicamente nos distritos policiais e delegacias especializadas.
A previsão da coordenadora da Delegacia Eletrônica, Adriana Sampaio Liporoni, é que 1,5 milhão de pessoas utilizem o serviço até o fim do ano.
A comodidade de se fazer o registro pela internet atende 11 tipos de ocorrências e as mais frequentes entre elas são as de furtos, incluindo de veículos, e as de perdas (documentos, celulares e placa de veículos).

VEJA AINDA:

Desde o ano passado, também é possível registrar via Delegacia Eletrônica casos de ameaça, injúria, difamação e calúnia. Além destes, a DE recebe registros de desaparecimento e localização de pessoas e acidente de trânsito sem vítimas.
Para a delegada, um dos principais benefícios do registro virtual das ocorrências se dá na própria ação policial. “Há uma realocação de policiais para atender a grande demanda da investigação do crime, que é o essencial”, afirma.
Outro ponto fundamental apontado por Liporoni é a economia gerado aos cofres do Estado. Um estudo realizado pela Secretaria de Gestão Pública de São Paulo, de 2003 a 2010, revelou uma redução de R$ 31.043.605,84 nos gastos. Esses dados estão disponíveis no site do “Relógio da Economia”.
“Não foi somente o Estado que economizou, mas as pessoas também, uma vez que elas não precisaram se locomover a um distrito, gastando gasolina ou passagem. Além de não gastarem tempo, o que, hoje, é tão importante”, acrescenta.
Estudos estão sendo feitos para avaliar a possibilidade de aumentar os tipos de ocorrências que podem ser registradas na Delegacia Eletrônica. Ao mesmo tempo, um projeto prevê a reforma e a ampliação das instalações e do número de pessoas que trabalham na unidade.

D00019197

Como registrar um boletim virtual
Idealizada pelo Departamento de Inteligência da Polícia Civil (DIPOL), o sistema foi criado pelo Grupo de Tecnologia da Informação (GTI) da Secretaria da Segurança Pública (SSP).
Para registrar uma ocorrência eletronicamente, é preciso escolher a natureza e preencher um formulário com todos os dados solicitados. Entre eles, é necessário informar um número de telefone e e-mail para contato.
Nos casos de furto veículos e desaparecimento de pessoas, um policial entra em contato em até uma hora com a vítima ou interessado. “Nestas duas ocorrências, é nosso compromisso estabelecer contato pelo telefone para entrevistar, confirmar dados e fornecer mais orientações”, diz a delegada.
Assim que o registro do boletim eletrônico é concluído, é enviado por e-mail um número de protocolo para acompanhamento.
Uma equipe de 120 policiais trabalha na análise dos casos que chegam. “As ocorrências são analisadas uma a uma, criteriosamente, por um policial civil. Eles recebem um treinamento rigoroso de, no mínimo, três meses para começarem a trabalhar na delegacia”, afirma Liporoni.
Depois de aprovado, o boletim vai automaticamente para o e-mail do solicitante e encaminhado ao DP da área para investigação. “Quando a ocorrência é deferida, todo o processo será realizado normalmente, como em qualquer outra delegacia presencial”, explica Liporoni, que está há quase quatro anos à frente da Delegacia Eletônica.
Com o BO, seguem também todas as orientações. No próprio site é possível acompanhar o andamento da ocorrência.
Os registros não aprovados, explica a delegada, ocorrem principalmente quando há inconsistências de dados, falsidade ideológica ou a impossibilidade de comunicação com a vítima. Mesmo que não aprovados, todas as solicitações de BEO são armazenadas em um banco de dados.
A delegada destaca ainda que, com o Departamento de Inteligência, busca-se aperfeiçoar e modernizar a Delegacia Eletrônica.
O serviço do registro de Boletim Eletrônico de Ocorrências pode ser acessado pelo portal da Secretaria da Segurança Pública. O serviço é 24h e também pode ser contatado pelo (11) 3311-3882, para dúvidas. As informações são do portal da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP).
[Foto: Divulgação/SSP]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Constituição Federal:
Art. 5º / inciso IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vetado o anonimato;

O seu comentário é uma ferramenta importante para o aprimoramento deste site, porém, deverá seguir algumas regras:

1 - Fica vetado o anonimato;
2 - O comentário deverá ter relação com o assunto em questão.
3 - Não serão aceitos comentários que denigram o nome/imagem de quaisquer instituições ou de seus integrantes.
4 - Comentários inapropriados serão retirados pelo editor do site sem prévio aviso.

OBS.: Verificar Página Termos de Uso - Ao enviar o seu comentário, fica confirmado ter conhecimento da política de uso deste site.

Tecnologia do Blogger.