Manequinho Lopes: o Entomologista e o Parque

20/05/2013 - Por Dennis Guerra: Conheça um pouco mais sobre o Viveiro Manequinho Lopes - localizado no Parque Ibirapuera - e o homem que inspirou esse projeto: 

 “Não tinha onde estudar aqui, então o meu avô mandou ele (Manequinho)
 






estudar na Europa, de modo que ele estudou na França, na Alemanha, tanto que falava alemão fluentemente... os que tinham dinheiro saiam para estudar. Graças ao diploma (na volta) ele entrou para a prefeitura e começou a pintar a cidade de verde, como dizem, (...). São Paulo naquela época tinha poucas árvores e ele começou a formar os parques... Quando ele saía de guarda-chuva a gente falava: - Pai, para quê isso? Depois nós descobrimos que era para cotucar os canteiros... para ver se a terra estava úmida, ver se tinham aguado...(Francisca) O prefeito era o Antonio Prado e eles se davam bem, ele tinha autonomia (...) trabalhou no Biológico também, naqueles combates das pragas da lavoura, a broca do café, a lagarta rosada do algodão, a saúva... O meu pai muitas vezes trabalhava em casa, às vezes ele plantava e também acolhia pessoas para ensinar (...) eram as três casas: uma eu fiquei morando, a outra era a dele, que tinha cozinha funcionando, e na outra ele tinha o escritório dele, tudo arrumado, livros, tudo. Eu era criança (...) ele me pegou no colo para me mostrar uma lagarta saindo do casulo, eu me lembro como se tivesse sido hoje, porque eu fiquei tão entusiasmada de olhar no microscópio... Ele estava sempre ali, olhando no microscópio, e foi a primeira vez que eu olhei no microscópio, que é muito diferente desses microscópios de hoje, não é”?

Francisca - Filha de Manequinho Lopes


Fontes de pesquisa em 20/05/2013 às 20:31h:

YouTube / Parque do Ibirapuera.com / Fau Usp




Apoio:



Gostou desta postagem? Compartilhe com os seus amigos em suas redes sociais e ajude-nos a divulgar o nosso trabalho!

Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, seja bem-vindo! Faça o seu comentário com responsabilidade. Muito obrigado!

Por Dennis Guerra