Valdomiro põe guarda para caçar entulho e PM vai fiscalizar boteco em Rio Preto - SP

O prefeito Valdomiro Lopes (PSB) vai colocar a Guarda Municipal para caçar entulho e policiais militares para fiscalizar bares na periferia da cidade. A nova função dos guardas municipais e as ações da Atividade Delegada da Polícia Militar foram anunciadas por Valdomiro, nesta quinta, 17, durante a posse de 29 novos guardas municipais. “Quero criar um pelotão ambiental na Guarda Municipal. Nossa cidade sofre com os depósitos irregulares de entulho. Vou encaminhar à Câmara um projeto para aplicar altas multas nas pessoas que depositam entulho em áreas proibidas. Também quero intensificar a fiscalização nos pontos


de apoio”, afirmou Valdomiro. As ações da Atividade Delegada, que serão realizadas por meio de convênio entre a Prefeitura de Rio Preto e a Polícia Militar, ainda não têm data para começar, mas Valdomiro já definiu as funções dos policiais militares que vão trabalhar para a administração municipais nas horas de folga. “Eles (policiais) vão para a periferia abordar estabelecimentos abertos e analisar o alvará de funcionamento, as pessoas que ali estão, se é ponto de tráfico”, disse o prefeito. Em visita a Rio Preto, na última quarta-feira (dia 16), o comandante geral da Polícia Militar, coronel Benedito Roberto Vieira, disse que o convênio da Prefeitura está em análise no setor de consultoria jurídica da Secretaria de Segurança Pública.



“A Prefeitura pode delegar (aos policiais) as atribuições que lhe competem, exclusivas de fiscalização. Só podem ser delegadas atividades compatíveis com a função do policial militar. A análise que a consultoria jurídica faz é nesse sentido”, disse Vieira. De acordo com o coronel ainda não há previsão para a liberação do convênio, que depois será assinado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). O comandante da Polícia Militar de Rio Preto, coronel Azor Lopes da Silva Junior, que participou da posse dos novos guardas, disse ontem que vai a São Paulo na próxima semana em busca de informações sobre o convênio. “Havia um problema na lei original, que foi resolvido com outra lei, aprovada em dezembro na Assembleia Legislativa. Agora, o convênio de Rio Preto começou a ser analisado”, afirmou. Ele disse ainda que existe “uma fila” de convênios na consultoria jurídica. “Além de Rio Preto, Bady Bassitt e Potirendaba estão na fila, aguardando a análise de seus convênios para a atividade delegada”, completou.




Compartilhe:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, seja bem-vindo! Faça o seu comentário com responsabilidade. Muito obrigado!

Por Dennis Guerra