A Segurança Pública nos campos do Tabuleiro de Xadrez


Por diversas vezes ouvimos que a Segurança Pública é dever do Estado e deve ser exercido pelas polícias. Ressalto a palavra Estado para que não persista a dúvida de quê me refiro à União Federativa e não ao ente federativo. Neste contexto lembro-me do Jogo de Xadrez. Neste jogo a ideia é proteger o Rei, sendo que cada peça tem uma função definida. 


Isso não significa que uma tenha mais importância do que as outras, pois todas trabalham sempre em conjunto. Considerando apenas a sequência de organização das peças no tabuleiro, temos: os Peões, as Torres, os Cavalos, os Bispos, a Rainha e o Rei.





Imaginemos então que o Rei represente aqueles a quem devemos dar proteção e segurança: a sociedade - em sua mais ampla definição - e que as demais peças são aqueles que devem protegê-la. No jogo de Xadrez, isso é feito não apenas pela Rainha, como também pelo Peão.


Arte: Dennis Guerra



Dentro dos seus limites, o Peão muitas vezes é peça-chave nesse trabalho. No meu mínimo entendimento do jogo, a Rainha é uma das peças que mais gosto por sua maior amplitude de movimentos em relação ao Peão. Este, por sua vez, faz parte daquelas peças que costumo sacrificar com maior tranquilidade para me aproximar do Rei oposto e colocá-lo em xeque-mate.

Quando fazemos um paralelo entre a Segurança Pública e o Jogo de Xadrez, perceberemos que alguns poderão - e o fazem - minimizar o valor dos Peões e supervalorizar a importância da Rainha. E nesse embate, o Rei ficará esquecido e desprotegido - fim de jogo!





Quando iniciei essa ideia, me imaginava como sendo o Peão. Até mesmo porque se considerarmos a quantidade de guardas municipais no Brasil, poderíamos fazer a relação com o número elevado de Peões sobre o tabuleiro.

Mas aí me vem à lembrança a entrevista concedida a este blog pelo senhor Carlos Augusto, Presidente do Sindguardas - SP, na época candidato a vereador por São Paulo:

Segurança Pública e Segurança Urbana: Qual é a diferença e onde as Guardas Municipais estariam inseridas?

CA - A grande diferença é que segurança pública é realizada pelos agentes da União, dos Estados e dos Municípios e se resume exclusivamente à violência. Segurança Urbana é mais ampla, pois abrange também o poder de policia administrativo para fiscalizar as questões relativas ao ordenamento urbano e somente pode ser exercida pelos agentes do Município. Um Guarda Municipal faz segurança pública e urbana e os agentes dos demais entes públicos só fazem segurança pública, logo, um guarda municipal possui uma esfera de atuação muito mais ampla que os demais agentes, podendo atuar nas duas esferas.”

Aí, parceiro, fiquei em dúvida: seríamos mesmo os Peões neste jogo?

Às vezes parece que não!


Dennis Guerra


E-mail: blog.guerra@hotmail.com

Nextel: 7821-4414

ID: 92*226273





A reprodução é permitida desde que feita na sua íntegra e citada a fonte original

Gostou desta postagem? Compartilhe com os seus amigos em suas redes sociais
e ajude-nos a divulgar o nosso trabalho!


Compartilhe:

2 comentários:

  1. A REALIDADE MEU COMPANHEIRO,CONFORME MEUS ESTUDOS EM SEGURANÇA PÚBLICA,AS POLÍCIAS TIDAS COMO LEGALISTAS,FEDERAL,CIVIL,MILITAR E BOMBEIROS...NÃO POSSUEM ATÉ OS DIAS DE HOJE IDENTIDADE PRÓPRIA.AS ÚNICAS FORÇAS POLICIAIS QUE NO ATUAL MOMENTO EM QUE À POPULAÇÃO CLAMA POR SEGURANÇA,E AS ÚNICAS QUE ATENDEM Á NOVA POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA,SÃO AS GUARDAS MUNICIPAIS,DEVIDO AO SEU POLICIAMENTO COMUNITÁRIO,E SUA INTEGRIDADE COM AS COMUNIDADES....NÃO PRECISAMOS VIVER DE DEMAGOGIA...NÓS SOMOS (POLÍCIA)NO CUMPRIMENTO LEGAL DO DEVER.....

    ResponderExcluir
  2. Realmente seguimos nesse caminho. Valeu, meu chegado, por mais uma vez se fazer presente no blog! Um abraço!!!

    ResponderExcluir

Olá, seja bem-vindo! Faça o seu comentário com responsabilidade. Muito obrigado!

Por Dennis Guerra